sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Ministro da Educação faz declarações LGBTfóbicas e gera repercussão

Loading

Infelizmente não poderíamos esperar algo diferente do atual governo do Brasil, mas não deixa de ser lamentável e preocupante. Desta vez, o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, que também é pastor e assumiu o Ministério no último mês de julho, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo fez uma declaração homofóbica. 

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!

Ao ser questionádo sobre a importância de educação sexual nas salas de aula, ele declarou:

"Acho que o adolescente que muitas vezes opta por andar no caminho do homossexualismo tem um contexto familiar muito próximo, basta fazer uma pesquisa. São famílias desajustadas, algumas. Falta atenção do pai, falta atenção da mãe. Vejo menino de 12, 13 anos optando por ser gay, nunca esteve com uma mulher de fato, com um homem de fato e caminhar por aí. São questões de valores e princípios”

E teve mais. O repórter, diante da resposta, perguntou se ele seria contra um professor transexual. A resposta: “Se ele não fizer uma propaganda aberta com relação a isso e incentivar meninos e meninas para andarem por esse caminho.... Tenho certas reservas”.

Repercussão

Diante de uma fala preconceituosa e até sem connhecimento ou embasamento científico, no melhor estilo Ana Paula Valadão, é inevitável não ter repercussão. 

Segundo matéria do Jornal Nacional parlamentares e entidades LGBTQI+ consideraram que a declaração demonstra atitude homofóbica e pediram a abertura de uma investigação. 

Já a Comissão da Diversidade Sexual e Gênero da OAB/MG emitiu uma "Nota de repúdio à fala LGBTIfóbica do ministro da Educação em entrevista ao Estado de São Paulo". Confira abaixo. 

O ator Tuca Andrade também fez um post irônico e a comentaria Gabriela Prioli fez um vídeo explicativo diante de tanta ignorância e preconceito. Confira também abaixo.

Ver essa foto no Instagram

Em 17 de maio de 1990, a Organização Mundial da Saúde retirou a homossexualidade (não se usa mais o sufixo “ismo”, pois associado a doenças) da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID). Homossexualidade é identidade sexual, que não precisa de cura. Também não pressupõe escolha. Defender a homossexualidade como opção alimenta a ignorância que agride e mata. O pai que espanca o filho para que ele “escolha” o “caminho certo”. Essa é uma fala inadmissível, pois carregada de preconceito. Faça o senhor uma pesquisa, Ministro, e não encontrará alicerce nenhum para aquilo que o senhor diz. Desajustada é a sua conduta.

Uma publicação compartilhada por Gabriela Prioli (@gabrielaprioli) em

Ver essa foto no Instagram

Foto dedicada ao Sr Milton Ribeiro, Ministro da Educação do Governo Bolsonaro.

Uma publicação compartilhada por Tuca Andrada (@tucaandrada) em

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter