terça-feira, 10 de março de 2020

Drauzio Varella se manifesta sobre abraço dado a transexual

Loading

A repercussão e a comoção na internet em relação à divulgação do suposto crime cometido pela transexual Suzy, que recebeu um abraço do Dr. Drauzio Varella em uma reportagem exibida no Fantástico, fez o médico se manifestar publicamente. 

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!  

Primeiramente, Drauzio divulgou uma nota oficial na qual afirma: "sou médico, não juiz". Não suficiente, já que a mesma nota recebeu bastante críticas, ele postou hoje um vídeo no qual expõe com toda sinceridade e dignidade - o que o público presencia já há anos em seu trabalho - sua posição sobre o ocorrido. No vídeo, ele diz que também ficou sabendo do crime após a reportagem ter ido ao ar: "é um crime que choca a todos nós... entendo a frustração de quem se decepcionou comigo. Para quem acha que eu errei, desculpa". 

A Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) emitiu uma nota oficial intitulada "Nota de Repúdio de Antra contra o Linchamento Virtual Promovido contra a reeduncanda Suzy - O  Estado já a condenou, não cabe a nós condena-la novamente".  Confira na íntegra, abaixo. 

ATENÇÃO, possível gatilho com a frase a seguir: Segundo matéria da revista IstoÉ, Suzy está na  prisão por estuprar e estrangular uma criança de 9 anos.

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!  






Ver essa foto no Instagram

NOTA DA REPÚDIO DE ANTRA CONTRA O LINCHAMENTO VIRTUAL PROMOVIDO CONTRA A REEDUCANDA SUZY. A Associação Nacional de travestis e transexuais (ANTRA), vem a público repudiar a exposição sensacionalista e o linchamento virtual motivados pela transfobia social e estrutural, com que a página de Instagram Grupo de Ciências Criminais @criminais que consta com mais de 100 mil seguidores, se valendo da tentativa de manipular a opinião pública contra a Travesti Suzy que se encontra privada de sua liberdade e cumprindo pena pelos crimes que cometeu. Publicaram diversos posts e informações sobre o processo que culminou em sua prisão em uma campanha anti ética, carregada de julgamentos subjetivos e que se opõe diretamente ao que prevê o direito penal no que tange a conscientização pública sobre o sistema e a função da pena. Que tipo de ajuda é essa que a página pretende disseminar ao expor publicamente uma pessoa que já está pagando pelo que fez em um país que institucionalizou um projeto de marginalização das pessoas trans? O Estado já a condenou, não cabe a nós condena-la novamente!!! . . Leiam a nota na íntegra. Link na Bio.
Uma publicação compartilhada por ANTRA (@antra.oficial) em