sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Relatório mostra a violência contra pessoas transexuais e travestis em Minas Gerais

Loading

O Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT da Universidade Federal de Minas Gerais (NUH/UFMG) divulgou neste mês de janeiro, considerado o Mês da Visibilidade Trans em razão do Dia Nacional da Visibilidade Trans (29 de janeiro), um Relatório com foco na violência contra esse segmento LGBT no estado de Minas Gerais.

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!

Nesta edição, o Relatório apresenta o levantamento de casos de homicídios envolvendo pessoas transexuais e travestis entre janeiro de 2016 e outubro de 2018 em jornais, sites de notícia e páginas de movimentos sociais LGBT. Também são considerados dados encontrados pela Superintendência de Informação e Inteligência Policial (Polícia Civil de Minas Gerais – PCMG), nesta edição 

Ao todo, 105 Registros de Eventos de Defesa Social (REDS) - como Registros ou Boletins de Ocorrência -  no envolvendo LGBTs como vítimas, autoras ou em outros envolvimentos são analisados no Relatório. Destaca-se que 2/3 das vítimas travestis e transexuais identificam-se da raça negra/parda e a idade média é de 27 anos. 

O Relatório - que você pode acessá-lo na íntegra clicando aqui - tem a coordenação do professor e doutor Marco Aurélio Máximo Prado e trata-se de uma parceria do Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT da Universidade Federal de Minas Gerais (NUH/UFMG) e o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos do Ministério Público de Minas Gerais (CAO-DH/MPMG).

A TV UFMG, em uma série especial dedicada ao Mês da Visibilidade Trans, também fez uma matéria sobre o assunto. Você pode assistir abaixo: 



Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!