sábado, 10 de agosto de 2019

Programa "Cartas Pra Pepita", da Mulher Pepita, vai virar livro

Loading

O programa Cartas pra Pepita, sucesso de público no IGTV e no YouTube, completa um ano no ar, agora em agosto, e pra comemorar traz as melhores cartas no livro de estreia do Selo Monocó.

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!

Apresentado pela ativista LGBT, cantora e compositora Mulher Pepita, uma das primeiras funkeiras travesti do Brasil, o programa traz os conselhos e pitacos da autora sobre os relacionamentos e questionamentos sobre amor e sexo dos leitores-espectadores, que enviam suas cartas ao programa e são lidos no ar, sem pudores.

Você pode estar no livro

Em um ano de programa, Pepita recebeu mais de 2.000 cartas e respondeu quase 300 delas em cerca de 50 episódios do programa. Agora a sua carta pode ser lida ao vivo nos eventos de lançamento do livro: posta pra gente sua história nas redes com a #cartasprapepitaolivro

Sobre Pepita

Pepita iniciou sua carreira como dançarina de funk no Rio de Janeiro. Enquanto apresentava-se em boates cariocas, a cantora foi presenteada com a música "Tô à Procura de um Homem" por um amigo e imediatamente lançou-se na carreira musical. Em 2014, um vídeo da artista dançando vazou na internet e viralizou, dando à Pepita grande visibilidade, tornando-se uma figura frequente na comunidade gay. O sucesso e a fama culminaram no lançamento do primeiro EP da artista, intitulado "Grandona pra Caralho" (um dos bordões da artista, que refere-se aos comentários preconceituosos feitos ao seu corpo).

A representatividade da Mulher Pepita é especialmente importante num país como o Brasil, que lidera o ranking mundial de assassinatos de transsexuais e travestis, de acordo com dados publicados pela ONG Transgender Europe em novembro de 2016.

Quem tiver interesse no livro, o mesmo já está em pré-venda. Você pode adquirir clicando aqui


Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!