terça-feira, 21 de maio de 2019

Entrevista excluZiva com Francis Glam Glam: transexual e drag queen

Loading
Foto: Catarina Paulino

Foto: Catarina Paulino

Francis Glam Glam é um dos destaques atuais da noite LGBT de Belo Horizonte. Ela que é transexual e drag queen, vai comemorar seu aniversário na próxima sexta-feira, 24 de maio, em uma edição especial da festa Eleganza, a drag party de maior prestígio em BH e que tem em Francis uma de suas principais representantes. 

Antes de se preparar para a celebração nesta sexta-feira, Francis concedeu uma entrevista excluZiva para o Muza, em entrevista feita por Rafa Martir (produtor, publicitário e  DJ, que também é seu amigo pessoal) e fotos maravilhosas da fotógrafa Catarina Paulino, feitas na boate LOL (que possui ambientes instagramáveis e onde será a festa da Eleganza). Se joga na entrevista na qual Francis fala sobre representatividade, preconceito e sobre sua jornada artística! 

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!


Foto: Catarina Paulino

Muza:: Como foi quando você descobriu que queria ser artista?

Francis Glam Glam:: Eu era uma Criança muito Falante e Esperta, com aptidões para as tarefas Escolares e também reunir no Grupo de Amigos. Nesse amadurecimento Social fui descobrindo que gostava de Teatro, Música e atividades nas quais precisava me expor perante um público ou plateia.

Mas a percepção e o desejo de ser uma Artista vieram após alguns anos, no fim da Adolescência por volta dos 16 anos, quando comecei a fazer aulas de Teatro e Música, e depois de muitas tentativas e descobertas no universo das Artes, entendi que meu Dom-Sonho-Missão nessa Vida é estar no Palco passando uma mensagem através da minha Arte.

O que a arte drag representa hoje para você?

Foi onde realmente encontrei o caminho e o prazer da Minha Arte. Antes de ser Drag Queen fiz parte do Corais e Grupos de Teatro que me ajudaram na Evolução do meu entendimento artístico e na descoberta da Persona que hoje sou: Francis GlamGlam. Esse processo me ajudou também no entendimento da minha Identidade de Gênero, hoje sou uma Artista Transexual e trabalho como Drag Queen e Apresentadora.

Você acredita que trabalhar na cena LGBT te ajudou em algumas desconstruções? 

O Universo LGBT é bastante peculiar em suas características, pois existe muita Criatividade e Sensibilidade para abordar determinados assuntos. Não deixando de lado o Bom Humor e Ironias característicos do público LGBT, que aprendeu nas dificuldades a “rir da Vida” pra ter forças e enfrentar a Sociedade e nossa realidade Conservadora e Machista.

Passando por todos esses dilemas, dúvidas e incertezas você com sabedoria consegue VER de forma clara muitos Pré-conceitos que foram empurrados na nossa Educação Formal que no ponto de vista da Diversidade sempre foi falho e atualmente com a força dos movimentos LGBT vem mudando a Conta-gotas essa realidade. Eu particularmente sou extremamente grata ao meio LGBT por me mostrar que pensamentos e conceitos antigos não respeitam a individualidade das pessoas.


Foto: Catarina Paulino

Qual o principal elemento na hora de montar a Francis Glam Glam?

Glam Glam é a abreviação de Glamour, e a utilização da repetição por 2 vezes desse termo, vem como forma de reafirmar essa identidade cheia de Estilo, Personalidade e Simpatia.

Meu trabalho como Drag Queen é inspirado no Feminino, no Universo da Moda buscando mesclar As referências do Passado e as Modernidades do mundo Fashion. Outra influência inegável é a Música: POP, Popular, Clássica e suas grandes Intérpretes e Cantoras.

Quando criança, você imaginou que sua vida seria como é hoje?

Sim e Não. Sonhei muito tempo sem entender o que realmente acontecia dentro da minha cabeça e os meus sentimentos. Só quando tive o entendimento que havia nascido no “Corpo trocado” e que minha identidade de Gênero realmente era a Mulher que sempre sonhei ser, que tudo começou a acontecer de forma mais tranquila em minha Vida. Autoconfiança, Autoestima, força de vontade, tudo conspirava a favor dos meus Desejos a partir de então. Hoje me sinto totalmente realizada com a escolha da minha profissão e também no meu posicionamento como Cidadã.

É difícil ser Drag e trans? O público tem uma aceitação fácil? 

São dois universos distintos que se unem pela exaltação do Feminino. Ser Trans não é uma escolha: é uma condição/necessidade pra se realizar pessoalmente. Ser DragQueen é um trabalho Artístico, é uma forma de mostrar ao mundo uma visão diferenciada da Arte, de vivências e inspirações na Sociedade mas com o olhar que que não teve as mesmas oportunidades.

A aceitação do público vem de forma natural se o seu trabalho artístico e sua personalidade Drag agrada às pessoas. Num primeiro momento, devido ao preconceito social com a população Transsexual, essa empatia pode demorar a acontecer. Mas com dedicação, verdade e talento essa característica: ser Trans se torna apenas um Diferencial a mais do trabalho Artístico.


Foto: Catarina Paulino

E como você lida com o preconceito? Seja por ser transexual ou drag queen.

O Preconceito é sempre tão cruel, machuca apenas pelo olhar de repulsa ou desaprovação, fere nossos sentimentos com palavras que nos classificam como aberração ou perversão. E quando ocorre uma agressão física se torna uma ferida que nunca se cicatriza, dói dentro do alma, do coração. Mas passando por tudo isso é que aprendemos a ser forte o suficiente para sobreviver com inteligência e sabedoria, adquiridas pela dor dessas experiências vividas nessa Selva de pré julgamentos.

A cada olhar torto, cada palavra atravessa, cada soco na boca do estômago: é capaz de nos transformar num ser humano mais apto para vencer esses obstáculos. Eu sempre uso minha inteligência, tolerância, paciência e a filosofia de parar, pensar, refletir sobre e, assim, entender o por que de uma agressão gratuita. Obviamente, não deixo de me defender de um ataque. Mas pensando no porque nós LGBT incomodamos tanto a sociedade, chego a uma conclusão que resume toda as frustração, as amarras e limites que eles mesmos se aprisionaram. A liberdade de ser quem realmente somos, à duras penas, causa uma inveja, incômodo, revolta naqueles que jamais seriam capazes de se libertar dessa prisão que eles mesmo criaram. Lição de Vida: estamos nesse Mundo para evoluir socialmente e espiritualmente. Se você é capaz de respeitar o próximo em sua diversidade, certamente você será uma pessoa melhor e mais feliz.

Como você vê hoje a cena Drag de BH?

Ser DragQueen é uma tarefa bem difícil desde seu o início, tanto pessoalmente quanto socialmente. BH é uma cidade onde existem vários Grupos Drags com estilos bem diferentes que se misturam, identificam e interagem dentro de suas diferenças.
Há uns anos atrás o Cenário Drag de BH era bem diferente, um grupo fechado de Artistas com um critério de inclusão chamado: Mãe Drag. Se você tivesse uma Drag mais experiente que te ajudasse a Montar, e tendo talento obviamente, você era aceita no meio, tinha oportunidade de subir ao Palco e mostrar seu talento. Caso contrário era um sonho impossível.

Com a força adquirida por meios Virtuais ( Drag de Internet) e pelas redes sociais esse panorama mudou bastante.

Surgiram inúmeras festas com temática Drag e as oportunidades surgiram de uma outra forma, a aceitação é através do seu destaque e estilo nas redes. Mas como toda oportunidade na Vida, somente as pessoas que têm talento e persistência continuam nessa Árdua e Doce Arte de se expressar.

Como âncora da Festa Drag ELEGANZA tenho o orgulho de dizer que temos uma política de inclusão por meio de um Concurso de Lipsink, as Drags novas tem oportunidade de disputarem a cada edição o Duelo de dança, dublagem e Look: e que a melhor vença!

O que significa hoje para você comemorar seu aniversario na Eleganza?

Celebrar um dia tão importante ao lado das Amigas de Palco, pessoas que tiveram sua primeira oportunidade com a ELEGANZA, que se dedicam a cada momento para superar as dificuldades da Montação, trazendo estilos diferentes, personalidades únicas, talento e diversidade ajudam a criar nossa Identidade Artística cada vez mais forte.

Só tenho a agradecer à ELEGANZA e as Drags que por ela passaram e as que permanecem.
#juntassomosmaisfortes. Convido você que está lendo essa entrevista para comemorar comigo na festa "Eleganza" que acontece nesta sexta-feira, 24 de maio, na boate LOL


Foto: Catarina Paulino

Foto: Catarina Paulino

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!