quinta-feira, 4 de abril de 2019

Projeto para formação de militantes LGBT em Minas Gerais começa nesta sexta em BH

Loading

Começa nesta sexta-feira, 5 de abril, a primeira etapa do Projeto Protagonismo LGBTI, realizado pelo Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais (CELLOS/MG). O projeto, que tem como objetivo formar militantes para atuar nas mais diversas regiões do Estado, conta com quarenta militantes que trazem consigo as mais diversas experiências e expectativas para começar os trabalhos. 

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!

O projeto será feito em duas frentes: na primeira, iniciada neste final de semana, o foco será na formação dxs quarenta militantes. Quatro temas serão abordados. O primeiro é sobre a História do Movimento LGBTI, ministrado por Giovanna Araújo. Na sequência, a temática será de Gênero, Sexualidade e Política, com o facilitador Igor Monteiro. Fechando o processo, os participantes terão a palestra de Comunicação como Ferramenta Estratégica para o Ativismo LGBTI, com Bruno Greco, e por último abordando sobre Advocacy, Controle Social e Fortalecimento Institucional com Carlos Magno.

Bruno Chaves, diretor do CELLOS/MG e coordenador do Projeto Protagonismo LGBTI, realça a importância desta ação. "O projeto cumpre um papel importante de formação e interlocução dos movimentos em todo o Estado. Vivemos um momento de desmontes e ataques as liberdades individuais e coletivas, nossas formas de ser e relacionar estão no centro do debate conservador e são constantemente utilizadas para influenciar de forma destorcida a opinião pública. A formação é um pilar importante para a construção da resistência."

Já para Camila Oliveira, mulher trans e uma das militantes selecionadas, a importância da participação no projeto é um privilégio. "Levando em consideração que vivemos num país que mais assassina LGBTIs no mundo, principalmente travestis e transexuais, é uma responsabilidade e um privilégio de ter a oportunidade de trocar experiências e capacitações no âmbito coletivo.". Ela também realça que a formação visa com que os particpantes se tornem disseminadorxs e referência nesse processo de promoção a igualdade de direitos, busca da equidade e formulação de políticas públicas afirmativas específicas para a comunidade.

Na sexta, serrá realizada a abertura do evento. No sábado e no domingo, o curso em si. 

Siga o Muza no Facebookno Instagram e no Twitter!