sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Espetáculo de teatro com temática LGBT terá sessões extras neste final de semana

Loading

O Muza já havia divulgado a temporada de estreia do espetáculo "Projeto Maravilhas" e agora informa que haverá sessões extras neste final de semana. Isso mesmo! As sessõe serão no dia 17 e 18 de novembro, próximo sábado e domingo respectivamente. O Muza já assistiu o espetáculo e indica! 

“Projeto Maravilhas” tem direção de Cláudio Dias (Cia Luna Lunera) e dramaturgia de Marcos Coletta (Quatroloscinco Teatro do Comum). A montagem parte das experiências e vivências do elenco, formado por Aisha Brunno, Bremmer Guimarães, Igor Leal e Pedro Henrique Pedrosa, pra percorrer uma cartografia dos desejos nos espaços públicos da cidade e repensar uma ideia de comunidade entre pessoas LGBTs.

“Tocar nos corpos homossexuais que habitam o espaço urbano. Evidenciar esses corpos, entre o medo e a violência, entre o amor e a sacanagem. Naturalizar o que muitas vezes é considerado invisível e colocado à margem pela sociedade. Durante sua criação, a peça teve como dispositivo a busca por um recorte contemporâneo das potências e fragilidades das homossexualidades masculinas, em espaços urbanos reais e imaginados”

A ideia do trabalho surgiu no primeiro semestre de 2017, quando os quatro atores começaram a trabalhar juntos durante a montagem de PassAarão, espetáculo de rua do Grupo Espanca. Inspirado por aquele processo, nascia o desejo em poderem mergulhar num tema mais específico da relação entre arte e cidade, com foco agora nas masculinidades e nas homoafetividades, em seus diferentes territórios.

O conceito de “projeto” surgiu ao longo dos ensaios, aproximando a montagem de um experimento, uma criação em constante processo, um convite pra uma experiência compartilhada com o público. Em tempos de conflitos políticos acirrados no país e no mundo, Projeto Maravilhas incita à construção de um “jardim”, um espaço pensado como possibilidade de resistência e vazão pra novos modos de vida e existência, de luta contra o preconceito e a intolerância.

Como podemos somar forças entre nossos pares e criar uma cultura de paz, em vez de continuar as violências que também se propagam na nossa comunidade? A dramaturgia de Marcos Coletta e a encenação de Cláudio Dias partem de diferentes caminhos e referências, tendo como fio condutor as relações entre pessoas LGBTs e as suas contradições.

Em seu percurso, a peça dialoga com textos dos estudos culturais queers; com a obra literária Paraíso das Maravilhas, do pesquisador Luiz Morando, que investiga o primeiro assassinato registrado por homofobia em BH, no Parque Municipal, nos anos 1940; com o dispositivo de pesquisa cênica e corporal do contato-improvisação, pesquisa do diretor Cláudio Dias; sem se esquecer da memória da arte LGBT, lembrada pela figura de resistência do encenador Ronaldo Brandão, atuante na cena da cidade durante o período da ditadura militar brasileira.

Sinopse
Corpos que habitam a cidade, entre o medo e a violência, entre o amor e a sacanagem. Sonham futuros com os olhos no presente, este que nos espreita e ameaça. É preciso estar atento e forte! Projeto Maravilhas faz um recorte contemporâneo das potências e fragilidades das homossexualidades nos espaços urbanos reais e imaginados.

Ficha Técnica
Direção e preparação corporal: Cláudio Dias.
Dramaturgia: Marcos Coletta.
Atuação: Aisha Brunno, Bremmer Guimarães, Igor Leal e Pedro Henrique Pedrosa.
Iluminação: Marina Arthuzzi.
Figurino e adereços: Thálita Motta.
Cenário: Cláudio Dias e Thálita Motta.
Projeto gráfico: André Victor.
Operação de luz e som: Will Soares.
Assessoria de imprensa: Bremmer Guimarães.
Produção: Bruno Lelis.
Realização: Plataforma BEIJO.

Serviço
Espetáculo “Projeto Maravilha”
Data: 17 de novembro (sexta) a 18 de novembro (domingo).
Horário: 20h.
Local: Funarte MG. Rua Januária, 68 - Centro.
Ingressos: R$20 (inteira). Vendas na bilheteria do teatro antes do espetáculo.
Duração: 90 minutos.
Classificação indicativa: 16 anos.