segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Lamentável: Torcida do Atlético fez grito de guerra homofóbico a favor de candidato à presidência

Loading

O jogo entre Atlético e Cruzeiro no Mineirão neste domingo, 16 de setembro, era para ter sido mais um dia de clássico e uma oportunidade para uma ótima partida de futebol. Entretanto, se tornou o cenário para uma manifestação de homofobia atrelada as eleições presidências no Brasil.

A torcida atleticana em determinado momento puxou um grito de guerra homofóbico, ameaçador a vida de LGBTs e relacionado ao candidato que já fez diversas declarações LGBTfóbicas, dentre elas que  "filho é gay por causa de porrada". 

A torciada gritou: "Ô cruzeirense, toma cuidado, o bols... vai matar viado"

Simplesmente lamentável. 


"Esperamos que a diretoria do Clube Atlético Mineiro se posicione publicamente em repúdio aos cantos entoados pela torcida atleticana no clássico de hoje, no Mineirão. Um grito que incita diretamente o assassinato de homossexuais. É inadmissível que o clube que carrega o marketing de time de povo fique em silêncio diante das ações violentas de parte da sua torcida.

Lembramos que o artigo 13 do Estatuto do Torcedor garante que não se deve incitar atos de violência no estádio, qualquer que seja a sua natureza, e ainda que não tenham cânticos discriminatórios, racistas ou xenófobos.

O Galo deve ser amor e não intolerância. #EleNÃO"

Algumas horas depois o Clube Atlético Mineiro também se posicionou contrário as atitudes dos torcedores também nas redes sociais. Com um texto e vídeo. Infelizmente, no vídeo, que é o de maior impacto, a homofobia e LGBTfobia é tratada de maneira genérica ao abordarem "aqui não tem espaço para preconceito". No texto, escreveram:

"O CAM lamenta profundamente as manifestações homofóbicas de parte dos torcedores, no jogo deste domingo, no Mineirão. Reiteramos nosso repúdio a quaisquer gestos de preconceito ou de incitação à violência. A maior torcida de Minas é composta por pessoas de todas as classes sociais, raças e gêneros, não cabendo qualquer tipo de discriminação. Isso não faz parte da nossa gloriosa história!
#TimeDeTodos"

O Muza espera que a CBF - Confederação Brasileira de Futebol - puna a torcida e, assim, tenha aprendido em relação as multas que já recebeu da FIFA em relação ao comportamento homofóbico dos torcedores brasileiros