quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Hoje acontece leitura encenada de espetáculo sobre primeiro assassinato por homofobia em BH

Loading

Nesta quinta-feira, o Memorial Minas Gerais Vale recebe a mostra de processo do espetáculo Projeto Maravilhas, com direção de Cláudio Dias e dramaturgia de Marcos Coletta, e atuação de Aisha Brunno, Bremmer Guimarães, Igor Leal e Pedro Henrique Pedrosa.

Em diálogo com a obra Paraíso das Maravilhas, de Luiz Morando, que investiga a história do primeiro assassinato registrado por homofobia em BH, no Parque Municipal, nos anos 1940, a montagem busca criar um retrato contemporâneo das potências e fragilidades das homossexualidades nos espaços urbanos clandestinos do nosso município. Uma cartografia do desejo, que percorre desde o jardim de infância, até banheirões de shoppings e boates, passando por saunas, parques, igrejas e os mais diversos lugares. 

Tocar nos corpos gays que habitam a cidade, entre o medo e a violência, entre o amor e a sacanagem; a montagem utiliza do contato-improvisação como um dos nortes de sua pesquisa, tendo como referência os estudos culturais LGBTs e queers, sem se esquecer também da memória da arte viada em nossa cidade, aqui lembrada pela figura do diretor mineiro Ronaldo Brandão.

A mostra de processo, com a leitura encenada do espetáculo, acontece nesta quinta, dia 27 de setembro, a partir das 19h30. A entrada é gratuita, com retirada de senhas uma hora antes. Este evento integra o projeto Leitura Rara, do Memorial Vale. Produção: Bruno Lelis e Plataforma BEIJO.

Serviço
Projeto Maravilhas - Leitura Rara
Data: 27 de setembro (quarta-feira)
Horário: 19h30
Local: Memorial Minas Gerais Vale (Praça da Liberdade, 640, esquina com Gonçalves Dias, Belo Horizonte).
Entrada: gratuita