quarta-feira, 7 de março de 2018

Em Minas Gerais, empresa paga indenização à funcionária transexual

Loading

Uma palavra: justiça! Uma mulher transexual foi indenizada em Minas Gerais por ter sido proibida de usar o banheiro feminino na empresa em que trabalhava, além de seu crachá constar seu nome de batismo e não seu nome-social. 

Ela trabalhava em uma empresa de montagens industriais, na cidade de Formiga, região centro-oeste do estado. A identidade dela e da empresa foram preservadas, mas o valor da indenização não: R$ 15 mil. 

Segundo matéria do Estado de Minas, o juiz Leonardo Tibo Barbosa Lima, da 1ª Vara da Justiça do Trabalho considerou que a trabalhadora foi vítima de discriminação por gênero e de assédio moral. No relato da ação consta que a mulher sofria “constantes humilhações no trabalho” feitas por colegas e pelo encarregado.  Na setença, o  juiz ainda ressaltou a necessidade dos empregadores “respeitar a pessoa, tratando-a de acordo com a identidade manifesta”.