domingo, 25 de fevereiro de 2018

Filme e documentário (com Linn Da Quebrada) brasileiros são premiados em festival de cinema LGBT em Berlim

Loading





Nos últimos dias aconteceu em Berlin o tradicional festival de cinema Berniale, ou o Festival de Berlin, e dentro do festival existe exibições de filmes com temática LGBT e uma premiação específica, o prêmio Teddy, conhecido como “Urso de Ouro LGBT”. Justamente nessa premiação, duas produções brasileiras foram premiadas. Isso mesmo!

Na última sexta-feira, 23,  a produção “Bixa Travesty”, dirigido por Kiko Goifman e Claudia Priscilla, recebeu o prêmio de Melhor Documentário.  O doc retrata o cotidiano da artista Linn Da Quebrada,que também já apareceu em outro documentário que falamos bastante aqui no Muza, o “Meu Corpo É Político”

Sinopse: “O corpo político da cantora transexual negra Linn da Quebrada é a força motriz desse documentário que a captura em sua esfera pública e privada, ambas marcadas não só por sua presença de palco inusitada, mas também por sua incessante luta pela desconstrução de esteriótipos de gênero, classe e raça”. 


Também na sexta,   o filme brasileiro “Tinta Bruta”, com direção de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon, recebeu o prêmio  de Melhor Ficção no Teddy. Já no sábado, o filme foi novamente premiado pela  Confederação Internacional de Cinema de Arte e Ensaio (CICAE) no Festival de Berlim. “Tinta Bruta”, mostra a história de Pedro,  jovem homossexual que ganha dinheiro com atuações em fóruns na internet.

Sinopse: O jovem Pedro (Shico Menegat) vive um momento complicado, ele responde a um processo criminal ao mesmo tempo em que precisa lidar com a mudança da irmã, sua única amiga. Como forma de catarse, ele assume o codinome GarotoNeon e passa a se apresentar anonimamente na internet dançando nu na escuridão do seu quarto, coberto apenas por uma tinta fluorescente.

Infelizmente ainda não temos previsão de quando “Bixa Travesty” e “Tinta Bruta” entrarão em cartaz no Brasil, entretanto espera-se que seja em breve.