terça-feira, 14 de novembro de 2017

Ator Eraldo Fontiny estreia em BH o espetáculo “Gente, a Lili Sumiu!”

Loading


O ator Eraldo Fontiny celebra 20 anos de carreira, estreando o espetáculo “Gente, a Lili sumiu!” (dias 14, 18 e 19 de novembro em Belo Horizonte) montagem que marca também os 15 anos de criação de Lili, sua personagem mais conhecida do público, a menina sapeca e sádica, dona do bordão A minha mãe deixa. 

O texto é de Caike Luna e, sozinho no palco, sob a direção de Christiano Junqueira, Fontiny se desdobra em vários personagens (Meire Caixeta, Seu Manel, Cynthia e Marcos Paulo), além de Lili, todos criados por ele e que são suspeitos do desaparecimento da menina. 

O desejo de Fontiny de montar um espetáculo existe há muitos anos. “Desde que conheci o Christiano Junqueira, há mais de quatro anos, ele me incentiva em montar o meu monólogo. Fiquei os últimos anos muito focado na Lili, porque ela ganhou muito reconhecimento do público, estourou na internet e na televisão, tendo hoje mais de 1 milhão de seguidores nas redes sociais. Mas eu queria dar também destaque a meus outros personagens, que são tão importantes para mim, assim como ela”, explica o ator. 

O pontifical artístico e criativo de Eraldo foi o que motivou Christiano Junqueira a assinar a direção da montagem.  “Estamos diante de um grande ator. Meu papel aqui é incentivá-lo a mostrar ao público o que ele sabe fazer de melhor que é representar. Costuramos bem essa história de mistério que tem como mote o sumiço repentino da Lili para mostrar toda a versatilidade do ator ao interpretar os personagens, utilizando recursos de áudio e vídeo para a troca de cenas”, adianta Christiano Junqueira, também ator, e que assina sua quarta direção de peça teatral. 

O enredo

A inspiração para o enredo da peça surgiu a partir de um episódio “Quem matou Barbosa”, da série TV Pirata, de quem o Eraldo Fontiny é fã desde a infância. “Este episódio ficou muito marcado em minha memória. Queria mostrar ao público meus outros personagens e a forma que encontramos foi unir em um mesmo espetáculo todos em torno de uma mesma história, tendo a personagem Lili como o eixo central do enredo. Foi então que convidei o Caike para escrever a peça, tendo o episódio como inspiração”, lembra Fontiny, que também colaborou no texto. 

A personagem Lili é uma criança, tendo a boneca Thamires e o urso Hugo, como seus brinquedos favoritos e confidentes, mas Eraldo Fontiny alerta que o espetáculo não é recomendado para crianças, sendo a classificação indicativa de 14 anos. “Muitas crianças amam a Lili porque ela é realmente muito engraçada. Apresento uma comédia, mas quero também colocar os pais para refletirem sobre a criação dos filhos. A Lili é uma menina sem limites, desbocada, cruel, uma criança que perdeu a inocência, ela é sádica, ela fuma, ela é tudo que uma criança não pode ser e ela sempre diz que a mãe deixou. Assim como muitas crianças que vemos hoje em dia. Hoje, os filhos nascem com celular na mão, têm redes sociais e sabem de tudo o que está acontecendo. É assustador. Com isso, acho que as crianças ficam adultas muito rápido, mas com a idade de criança. Eu gosto de frisar que a peça é para adultos e traz uma crítica importante para os pais que não colocam limites nos filhos”, explica. 

15 anos de criação de Lili

Eraldo Fontiny é graduado em Artes Cênicas, pela UFMG e já atuou em outros espetáculos e integrou por um ano (2016) o Terça Insana, em São Paulo. Ele conta que a personagem Lili foi criada há 15 anos, de forma espontânea, como brincadeira com os amigos atores, voltando de turnês de outro espetáculo. “Na van,  em viagens de apresentações teatrais, ficávamos brincando de inventar vozinhas diferentes. Foi aí que surgiu a Lili. Essa menina cruel, que também tem um pouco de mim”, revela o ator. 

Sinopse - “Gente, a Lili sumiu!”

Lili, a menina que sempre faz o que quer porque “sua mãe deixa”, sumiu misteriosamente. Quem será o responsável por seu sumiço? A hilária e não menos intensa Meire Caixeta o ou ingênuo e atrapalhado Seu Manel? Teria Cynthia, a apresentadora defensora da moral e dos bons costumes algo a ver com isso? Alguns suspeitam que Marcos Paulo, um deslumbrado roqueiro anônimo teria raptado a menina por inveja de sua fama. Assim é “Gente, a Lili Sumiu!”, a divertida comédia interpretada pelo talentoso e versátil ator Eraldo Fontiny, que se desdobra fazendo todos os suspeitos personagens dessa engraçada e imperdível história, além de Lili, a personagem que o consagrou para todo o Brasil.


Ficha técnica:
Elenco: Eraldo Fontiny
Autor: Caike Luna 
Direção: Christiano Junqueira 
Cenário: Diego Benicá 
Figurino: Jonnatha  Horta 
Trilha sonora original: Márcio Monteiro 
Iluminação: Juliano Coelho 
Vídeo Maker: Serena Mapping 
Fotografia: Allec Gomes 
Programação visual : On Feed Agência Criativa

Serviço: “Gente, a Lili sumiu!”

Classificação: 14 anos / Duração: 65 minutos 

Data: 14 de novembro de 2017, terça-feira, às 21h
Local: Cine Theatro Brasil Vallourec - Avenida Amazonas, 315 - centro
Ingressos: R$30,00 inteira e R$15,00 meia - clique aqui para comprar
Informações:(31) 3201.5211 ou (31) 3243.1964

Datas/Horários: 18 e 19 de novembro, sábado, 21h e domingo, às 19h
Local: Estação Cultural - Shopping Estação BH - Av. Cristiano Machado, 11833 - Venda Nova (BH)
Ingressos: R$32,00 inteira e R$16,00 meia e preço único no sinparc R$15,00 - clique aqui para comprar
Informações: (31) 3118-9902