terça-feira, 15 de agosto de 2017

Parada LGBT de BH em 2017 movimentou R$ 4 milhões na cidade

Loading

Foto: Catarina Paulino Fotografia


Há quase um mês, no dia 16 de julho, aconteceu a 20ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte. Após esse período, chegou a hora de saber qual o impacto turístico e financeiro que a Parada teve na cidade. Isso mesmo! Para fazer esse levantamento, o Centro de Luta Pela Livre Orientação Sexual (Cellos MG), ONG responsável pela organização da Parada, se juntou a Belotur e ao Núcleo Jurídico de Diversidade Sexual e de Gênero (Diverso UFMG). 

É bom ressaltar, que a Parada, como o Muza já havia informado, faz parte da 4ª Jornada pela Cidadania LGBT, uma série de atividades pró-LGBT na cidade durante o mês de Julho, incluindo a Parada.  

O Presidente da Belotur, Aluizer Malab, comentou sobre os resultados apresentados: “Belo Horizonte está em sintonia com as tendências do turismo mundial. Estamos trabalhando para diminuir a discriminação e aumentar o respeito na cidade, que está cada dia mais feliz e mais aberta, se destacando pela quantidade de espaços dedicados ao público LGBT”.

Perfil do Público

- 425 entrevistados. 
- 62,6% dos participantes são de Belo Horizonte, 24,5% da Região Metropolitana  
- 12,9% de Minas Gerais e outros estados. 
- Cerca de 80 mil pessoas estiveram presentes durante a Parada, sendo o número estimado de 10,3 mil visitantes. 
- O gasto médio dos participantes ficou em R$ 54,70, o que significa movimentação econômica em torno dos R$ 4,3 milhões.
- 87,8% afirmaram ser cisgêneros, pessoa que se identifica com o gênero a que foi designado no nascimento.
- 34,8% responderam não possuir religião e 65% possuem católicos na família. 
- 20,7% com renda familiar entre R$ 937,00 e R$ 1.840,00
- 31,8% possuem superior incompleto, 22,4% médio completo, 18,1% superior completo.


Turistas

- Pernoitaram na cidade 56% dos visitantes, sendo que 33% utilizaram meios de hospedagem e 45% utilizaram ônibus rodoviário para chegar até a cidade. 
50% utilizaram internet para planejar a viagem e 44% recorreram aos amigos e parentes.
O gasto médio na viagem foi de R$ 408,30 e permanência na cidade até 3 dias por 51% dos turistas. 

Público na Parada 

- 76,5% disseram que as expectativas foram superadas ou atendidas plenamente. 
- 51,3% já haviam participado do evento em 2016 
- 96,7% pretendem participar da próxima edição. 
- 61,6% disseram que não participaram de paradas em outras cidades.
- 43,8% disseram que participou da Parada em apoio à causa LGBT. 
- 41,2% apontaram a necessidade de mais reconhecimento e ou visibilidade, seguido de promoção de segurança. 
- 88,3% sentem-se totalmente ou parcialmente representados pela Parada do Orgulho LGBT.

Sobre a Parada em si

- 80 mil pessoas
- Concentração na Praça da Estação, deslocamento pela Rua dos Guaicurus, Rua da Bahia, Avenida Amazonas até a dispersão na Praça Raul Soares
- 54 membros militantes e voluntários, capacitados pelo CELLOS MG
- 4 atendimentos pelo SAMU
- 1 ocorrência de furto e 1 acionamento das equipe da Guarda Municipal e  PMMG em decorrência de tumulto na altura da Praça Sete
- Aplicação de pesquisa mobilizando 22 voluntários
- Cerca de 150 profissionais ligados à produção do evento, segurança privada e brigadistas
- 2.650 metros de fechamentos (grades, barricada, tapumes)
- Maior estrutura já utilizada na Parada (palco e sonorização de porte especial; 130 sanitários químicos; 3 geradores, 3 trios elétricos, sendo um especial)
- Mais de 300 servidores da Prefeitura de Belo Horizonte mobilizados na operação do evento 

Sobre a Jornada 

- 9 mesas de debates
- 5 rodas de conversa
- 4 cerimônias
- 3 sessões de cinema comentadas
- 3 oficinas, 
- 3 encontros temáticos, 
- 3 espetáculos, 
- 2 exposições e 
- 1 coletiva de imprensa. 
- As atividades envolveram quase 3 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a todos os eventos.

Clique aqui e saiba como foi a Parada do Orgulho LGBT de BH 2017
Clique aqui e veja 24 fotos inspiradoras da Parada


Clique aqui e veja + 24 fotos inspiradoras da Parada