segunda-feira, 5 de junho de 2017

Jovem afirma ter sido expulso de bar em BH por LGBTfobia

Loading

A LGBTfobia se manifesta de diferentes formas e, infelizmente, a auto-afirmação de gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e transexuais significam alvo para manifestações de preconceito.

No último final de semana, o maquiador e cabelereiro Felipe Lucas foi discriminado por homofobia/LGBTfobia em um famoso bar de Belo Hroizonte: Beb´s localizado na avenida do contorno. O que aconteceu? O próprio Felipe fez um breve relato nas redes sociais, onde podemos ver que aparentemente uma norma da casa, de não poder usar regatas, passou a valer apenas para ele, a partir do momento que começou a dançar e como consta em seu relato: “Bicha a vontade incomoda, né?”.

Em conversa excluZiva ao Muza, Felipe informou que ainda estava muito mal e que não iria fazer boletim de ocorrência porque “sei que processo não dá em nada”. Mas havia mesmo a tal placa dizendo que não podia usar regata? Felipe informou que não viu a placa, mas que havia outras pessoas usando regata e que não foram expulsas do local: “Eu não sabia que não podia entrar de regata. Não vi a tal placa. Ninguém falou nada até eu começar a "incomodar"... Alguém falou que tem. Eu não vi. Mas tinham outras pessoas de regata que não foram abordadas”. Entretanto, Felipe também informou que a expulsão não aconteceu de maneira violenta ou agressiva.

Até o momento o bar Beb´s não se pronunciou sobre o assunto, mas diversas pessoas solidárias ao que aconteceu com Felipe tem avaliado o bar negativamente em sua página oficial no Facebook como forma de protesto. Atualizado abaixo.

Abaixo, você pode ler o depoimento de Felipe na íntegra:

“Selfie da auto estima de sábado depois de ter sido expulsa do Beb's da Contorno ontem. Fui na comemoração de aniversário de uma amiga, não é um lugar que eu frequentaria... Alegaram que eu não podia ficar lá de regata. O mais engraçado? Eu entrei de regata e ninguém falou nada. Comprei fichas e consumi de regata e ninguém falou nada. Tinha um monte de playboy de regata (inclusive com regatas mais cavadas que a minha!) e ninguém falou nada. A regata só foi incomodar quando eu comecei a dançar! Bicha a vontade incomoda, né? Vamos continuar incomodando! Não vai ter menos close! Cada dia mais viada! Ontem eu fui embora me sentindo humilhado. Errado. Sujo. E eu não deveria me sentir assim. E não vou mais. Pra quem fala que não existe homofobia e que a gente é vitimista, fica aí mais essa”.