segunda-feira, 22 de maio de 2017

Viram? Governo de Minas Gerais lançou campanha contra LGBTfobia

Loading

Em razão ao Dia Mundial de Luta contra Homofobia, celebrado no dia 17 de maio, o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Direitos Humanos  Participação Social e Cidadania, lançou uma campanha nas redes socais contra a LGBTfobia. 

Além das belas imagens e frases de efeitos, que geralmente são utilizadas para  discriminar LGBTs, como podem ver abaixo e acima, também foram divulgados textos informativos. Veja abaixo os textos na íntegra. Junto das postagens também foi divulgado o “Disque 100”, número que serve para denunciar violência e preconceito contra pessoas LGBT.

Quem nunca ouviu alguém dizendo esta frase quando via um casal gay na rua? O que muita gente não entende é que isso só fortalece a discriminação. Temos que lutar juntxs por uma sociedade mais inclusiva, porque viver sem medo é direito de todxs.



Segunda-feira. Para muitos estudantes, um dia qualquer. Para estudantes lésbicas e bissexuais, o começo do pesadelo semanal.
Porque elas sabem o que as esperam na escola. Piadas de mau gosto, humilhação, preconceito. Se o bullying é cruel por natureza, ele pode ser ainda pior quando direcionado aos alunos LGBT. Muitas vezes terminam em violência física e até morte.
Nós, adultos, temos a obrigação de alertar nossas crianças desde cedo sobre as consequências da LGBTfobia. E mostrar que o valor de uma pessoa não é medido pela sua orientação sexual ou identidade de gênero. Viver sem medo e ser feliz é um direito de todxs.


Ao longo da vida, mulheres lésbicas e bissexuais veem várias portas se fechando simplesmente pela orientação sexual delas. Mas e quando a porta que fecha é a da própria casa? Logo ali, onde se deveria encontrar colo e acolhimento, muitas se deparam com ódio e preconceito. As sensações de vazio e abandono tomam conta, levando ao desespero e até mesmo ao suicídio. Muitas vezes, são jovens, adolescentes e pessoas que não têm para onde ir e nem para quem pedir ajuda. Por isso, devemos denunciar e combater todo tipo de intolerância. Só assim teremos uma sociedade mais justa e igual.
Viver sem medo e ser feliz é um direito de todxs.


347 mortes em 2016. Um recorde para envergonhar o Brasil, país que mais mata travestis e transexuais no mundo. Para se ter uma ideia, a expectativa de vida delas não passa dos 35 anos. E a questão vai além da violência física. Por causa do preconceito, mulheres trans não são bem recebidas nas escolas, faculdades e dificilmente portas abertas no mercado de trabalho (razão pela qual muitas acabam se prostituindo nas ruas). Passou da hora de dar um basta no ódio. Passou da hora de dar oportunidades iguais. Afinal, viver sem medo e ser feliz é um direito de todxs.


A fila de um banheiro não deveria dar medo a ninguém. Mas para um homem trans é um lugar perigoso. Os olhares intimidadores, os esbarrões propositais, os insultos que vem por todos os lados ferem por dentro e por fora. Isso é inadmissível. Não é apenas sobre identidade de gênero, é sobre condição humana. Devemos lutar contra a discriminação em todos os lugares: filas de banheiro, de bancos, de empregos. Porque a única coisa que não deve ter lugar na nossa sociedade é a intolerância. Viver sem medo e ser feliz é um direito de todxs.