terça-feira, 23 de maio de 2017

IV Marcha contra a LGBTfobia em BH : mais uma vez jogaram ovo!

Loading



Texto e fotos por Valmique

No último final de semana, mais precisamente no sábado, 20 de maio, aconteceu a IV Marcha contra a LBGTfobia em Belo Horizonte. Organizada pelo pelo Centro de Luta Pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais (Cellos MG) com o apoio de diversas entidades (veja relação abaixo). O Muza mais uma vez esteve presente e traz relato exluZivo do evento. 

Público (ainda pequeno)

Mais uma vez a quantidade de pessoas foi bem inferior a qualquer outro evento LGBT na cidade, como um show do Pabllo Vittar ou Lia Clark, por exemplo, ou mesmo da alguma drag queen do RuPaul´s Drag Race na cidade. Sim! São poucos os que colocam a cara no sol e sabem que lutar pelos direitos LGBT vai além de post legais nas redes sociais. 

Mesmo assim, uma esperança surge: o número de participantes aumentou em comparação ao ano anterior e, assim, algumas novas pessoas, novas de idade mesmo, estavam lá primeira vez, com seus 20 e poucos anos, recém-ingressados na faculdade. 

Sim! Jogaram ovo nos manifestantes

Para quem acha que a Marcha não é necessária, justamente uma dessas novas pessoas na Marcha foi atingida por um ovo. Isso mesmo! Jogaram um ovo pela janela de um dos prédios do centro na Marcha, na altura da avenida Augusto de Lima com São Paulo. 

E não fique surpreso: ano passado também jogaram, mas não acertou niguém. Já esse ano...

A manifestante vítima me disse “tacaram um ovo em mim”. Não! Não minha querida, tacaram um ovo em nós, e se atingiram você, atingiu a todos nós. E se doeu em você, como você me disse que doeu, doeu em todos nós, inclusive, naquele que não teve a sua coragem e engajamento de vir à Manifestação. 




Trajeto e abraço simbólico

A Marcha, como no ano anterior, se concentrou na Praça 7 a partir das 14h, e seguiu, por volta das 16h, algumas das principais ruas e avenidas da cidade: a avenida Afonso Pena, subiu a rua da Bahia, pegou a Augusto de Lima, e encerrou na Praça Raul Soares, com um grande abraço em torno no chafariz central. Um belo e inspirador momento! 

A Marcha é um símbolo de resistência e visibilidade, assim como a Parada do Orgulho LGBT, mas um pouco mais sóbria, afinal, não tem música, apenas gritos de guerra e discursos como “Nós vamos quebrar o armário, somos LGBT revolucionários” e “Eu beijo homem, eu beijo mulher, eu beijo quem eu quiser”. 




Entidades apoiadoras da IV Marcha Contra a LGBTfobia:

* Artistas Diversos
* Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT)
* CELLOS-MG
* CELLOS Contagem
* Coletivo MOOCA
* Coletivo Vulva
* Conlutas
* Conselho Regional de Psicologia da 4ª região
* Frente Autônoma LGBT
* Igreja da Comunidade Metropolitana
* Levante Popular da Juventude
* Rede de Mulheres Lésbicas e Bissexuais de Minas Gerais
* Sindess
* Transvest
* UNA-se contra a LGBTfobia
* UNA LGBT

História

17 de maio é considerado o Dia Internacional Contra a Homofobia, 17 de maio. A data lembra o dia em que a homossexualidade foi excluída da Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde - até então era considerada transtorno mental.