sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Prefeitura de Belo Horizonte cria Coordenadoria de Direitos da População LGBT

Loading

Belo Horizonte acorda com as cores do arco-íris nesta sexta-feira, 17 de fevereiro. O motivo? Está publicado no Diário Oficial do Município (DOM), um decreto, assinado pelo prefeito Alexandre Kalil, que oficializa a implantação da Coordenadoria dos Direitos da População LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) na Secretaria Municipal Adjunta de Direitos da Cidadania.

Como informa o site da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), na tarde desta quinta-feira, dia 16 (foto acima) o prefeito de BH e a secretária de Políticas Sociais, Maíra Colares, reuniram-se com representantes do Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais (CELLOS/MG), da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (ABGLT) e do Instituto Pauline Reichstul (IPR). 

Durante o encontro, Kalil conheceu as demandas da população LGBT e, além de anunciar a criação da Coordenadoria dos Direitos da População LGBT, firmou o compromisso de trabalhar pelo fortalecimento do Centro de Referência LGBT e pelo apoio da Prefeitura à realização da 20ª edição da Parada do Orgulho LGBT de BH, no dia 16 de julho.

Também no site da PBH, a secretária Maíra Colares, reconheceu que a criação da Coordenadoria, por meio da Secretaria Municipal de Políticas Sociais,  “era uma reivindicação histórica da população LGBT de Belo Horizonte, que está sendo atendida pelo prefeito Alexandre Kalil. A partir da publicação do decreto no DOM, a Secretaria de Políticas Sociais vai se organizar para iniciar os trabalhos da coordenadoria”, afirmou a secretária.

Dentre as principais funções da Coordenadoria dos Direitos da População LGBT de BH estão : coordenar programas, serviços e ações de atenção às vítimas de violência e discriminação por orientação sexual e que também visem à promoção e defesa dos direitos da população LGBT; executar e incentivar a realização de campanhas de conscientização pública, visando à inclusão social da população LGBT; e desenvolver coleta de dados, estudos e pesquisas relacionados à população LGBT, sistematizando as informações que orientem a formulação da política municipal.