quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Mãe assume ter matado o filho e suspeita-se que seja por homofobia

Loading


2017 não está começando fácil para os LGBTs...  agora é a vez da LGBTfobia chegar a um nível inimaginável: uma mãe matar o filho por ele ser homossexual. 

No interior de São Paulo, um adolescente de 17 anos, chamado Itaberlly Lozano, foi esfaqueado até a morte pela própria mãe, Tatiana Lozano, que já confessou o crime. O padrasto do jovem, Alex Pereira, também é suspeito de ter ajudado no crime e também está preso. Os dois não tinham passagem pela polícia e foram acusados por homicídio duplamente qualificado.  

O crime teria acontecido nos últimos dias de 2016, mas o corpo –  que foi queimado - foi encontrada apenas essa semana. A mãe alega que o matou após uma briga e discussão por ele ter ameaçado a família e usar drogas. Entretanto, outros familiares contestam a mãe. 

A avó paterna foi quem fez queixa do desaparecimento do adolescente à polícia, após ter abrigado ele em sua casa pro alguns dias após briga do adolescente com a mãe. O tio paterno Dario Rosa foi mais enfático. Ele disseque eles brigavam muito e em matéria do G1 acredita que ela o tenha matado por ele ser gay:

“A mãe dele não aceitava e a gente já desconfiava, porque ela não quis prestar queixa. Acho que a mãe tem que cuidar do filho e não fazer o que ela fez. Ele era um rapaz que trabalhava, era educado, era um menino, mas estava na fase de trabalhador”.