domingo, 13 de novembro de 2016

Reino Unido pede perdão póstumo aos homossexuais que foram condenados por serem gays

Loading

O governo britânico anunciou que vai estender o perdão póstumo aos milhares de homossexuais condenados por manterem relações homoafetivas. Até 1967, manter este tipo de relação era considerado crime na Inglaterra e no País de Gales; 1980, na Escócia, e, 1982, na Irlanda do Norte.

O perdão nada mais é que o resultado de um movimento chamado “Alan Turing Law”, campanha batizada em homenagem ao matemático britânico Alan Turing (1912-1954) que ajudou a decifrar os códigos dos segredos nazistas durante a II Guerra Mundial. Turing foi condenado por indecência grave depois que foi descoberto o seu relacionamento com um jovem 19 anos, em 1952. Ele foi castrado quimicamente e se suicidou em 1954 após intensa perseguição. Sua história foi retratada no longa “O Jogo da Imitação”. Inclusive, o ator Benedict Cumberbatch, que deu vida ao matemático, foi um dos que encabeçaram a campanha.

O ativista John Sharkey, que vem batalhando pelo perdão aos gays, afirmou à BBC que 65 mil homens foram condenados sob o respaldo destas antigas leis, dos quais 15 mil estariam vivos. Contudo, para o escritor e ativista homossexual George Montague, também condenado em 1974, disse que não quer ser perdoado, pois, “aceitar um perdão é admitir que fui culpado. Eu não fui culpado de nada. Só fui culpado de estar no lugar errado no momento errado”, declarou.