terça-feira, 29 de novembro de 2016

Na Inglaterra, serial killer matou três gays em encontros por meio de aplicativo

Loading


O serial Killer, Stephen Port, utilizava o aplicativo de relacionamento Grindr para atrair as vítimas até a sua casa em Barking, zona oeste de Londres. Lá ele as drogava com GHB, sem o consentimento delas, praticava o abuso sexual e, em seguida, as matava. Ele foi condenado há 16 anos de prisão.

Os assassinatos ocorreram entre 2014 e 2015. Gabriel Kovari, de 22 anos, foi a primeira vítima, e teve o corpo encontrado perto de um cemitério no bairro do serial. Menos de um mês depois, a polícia encontrou o corpo de Daniel Whitworth, de 21 anos. Já o corpo de Jack Taylor, de 25 anos, foi encontrado próximo a Barking Abbey quase um ano depois, 14 de Setembro de 2015.

Contudo, a pena aplicada ao assassino de 41 anos pode ser aumentada, já que ele ainda deve responder pelo assassinato de Anthony Walgate, cujo corpo foi encontrado dia 19 de junho de 2014 na Cooke Street em Barking.

EM TEMPO:  Se você acha que o perigo está do outro lado o oceano... é bom tomar cuidado. Divulgamos aqui no Muza há pouco tempo, que a comunidade LGBT de Uberlândia, interior de Minas Gerais, está preocupada: na cidade, em 15 dias, três gays foram encontrados mortos e suspeita-se que eles sejam vítimas de encontros de aplicativos. Por isso, cuidado pessoal com os encontros que marquem por meio de aplicativos! Locais públicos e avisar amigos são boas dicas.