segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Especial Eleições 2016: Pedro Patrus – Vereador

Loading

Em outubro acontece as eleições municipais e o Muza está atento e até esse importante momento democrático irá compartilhar com vocês os candidat@s em Belo Horizonte e região que tem em sua pauta questões LGBT. Desta vez, conheça Pedro Patruz que busca a reeleição como vereador:

Quem: Pedro Patrus
Concorre a: Vereador
Partido: PT
Número: 13133
Página Facebook: Pedro Patrus 

Abaixo e a imagem acima, são informações recebidas da assessoria do vereador diretamente para o Muza. O Muza já havia divulgado em maio desse ano sobre o projeto para uso do Nome Social do vereador. 

Com um mandato de luta em defesa de direitos e de uma cidade para todos, o vereador Pedro Patrus carrega no nome um histórico ético e de atuação comprometida com as questões sociais e de Direitos Humanos.

Com seus pais, Vera Victer, ex-secretária de Desenvolvimento Social de BH e Patrus Ananias, ex-prefeito de BH, deputado federal e ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, aprendeu muito cedo a valorizar a luta por justiça social e pelos direitos das minorias.

Eleito em 2012, Pedro Patrus destacou-se como líder da oposição e um vereador atuante em defesa das políticas públicas, da Assistência Social, dos servidores municipais, do patrimônio público e contra a privatização da cidade. Atua também em defesa da mobilidade urbana e de um transporte público de qualidade, da educação infantil, da juventude e dos direitos da população LGBT.

Pela comunidade LGBT 

Pedro Patrus, durante o seu mandato, manteve diálogo permanente com os movimentos LGBT da cidade, apoiando e garantindo espaços de participação e protagonismo da comunidade.
Como vereador defendeu e se posicionou sobre temas importantes como a inclusão dos debates de gênero e diversidade nas escolas. 

É autor dos projetos de lei do Dia Municipal da Parada do Orgulho LGBT em BH (PL 1662/15) e do Nome Social (PL 1199/14).

O Projeto 1662/15 dentro da Câmara, a criação do Dia Municipal da Parada do Orgulho LGBT, buscou abrir discussão para um evento político que luta pelos Direitos Humanos, contra o preconceito e por visibilidade. Entretanto, a intolerância religiosa prevaleceu entre os parlamentares que rejeitaram o Projeto de Lei que instituía a data comemorativa.

Outra proposta do Pedro Patrus, já em pauta para votação, é o Projeto 1199/14, que trata do uso do nome social de trans e travestis nos serviços públicos e privados prestados em BH. De acordo com o vereador, certificar o tratamento aos travestis e transexuais pelo Nome Social deve ser observado e respeitado em todas as instâncias públicas e privadas. “O direito de serem reconhecidas pelo Nome Social é preceito básico para rompimento das barreiras do preconceito. Vale destacar que estados como São Paulo, Rio Grande do Sul e Piauí, além de inúmeros municípios do Brasil já sancionaram regulamentação neste sentido”, afirmou.

O Projeto do Nome Social tende a acabar com essa grave violação dos Direitos Humanos, conferindo o primeiro passo para animar uma calorosa e indispensável discussão iniciada há algum tempo e sem data para terminar. A aprovação do PL se faz necessária para fazer mais simples a vida de pessoas que não pedem mais do que respeito e dignidade.
Respeito e dignidade são as principais pautas defendidas no mandato do verador Pedro Patrus e também na sua campanha para reeleição. Os militantes do movimento LGBT que lutam há décadas contra o preconceito e a violência física, psicológica e institucional sofrida por aqueles que não se enquadram nos padrões normativos da sociedade precisam de uma voz na Câmara. Frente à essa resistência e exclusão, a reeleição do vereador se faz necessária. Caso seja reeleito, Pedro Patrus já expõe suas propostas pela causa LGBT.

Propostas do vereador para o segundo mandato:

Ampliar a luta em defesa de políticas públicas que garantam os direitos da população LGBT.

Lutar pela criação do Conselho Municipal de Direitos e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros.

Defender a criação da Coordenadoria dos Direitos LGBT.

Trabalhar pela criação de Fundo Municipal de Políticas LGBT.

Continuar a luta pela regularização do Nome Social no município de Belo Horizonte.

Apresentar emendas às leis orçamentárias para viabilizar a oferta de capacitação para servidores e população em geral nas áreas de direitos humanos, diversidade sexual e de gênero.

Atuar para criação de projeto de lei que estabeleça incentivos para as empresas que contratarem população de travestis, transexuais e transgêneros, com acesso à capacitação técnica.