quarta-feira, 6 de julho de 2016

Nesta quinta acontece em BH debate sobre “Putafobia: Negação de Direitos e Vulnerabilidade Social”

Loading


Mais uma atividade da programação da 3ª Jornada pela Cidadania LGBT, que engloba a 19ª Parada do Orgulho LGBT de BH, acontece nesta quinta-feira, 7 de julho. Trata-de do debate “Putafobia: Negação de Direitos e Vulnerabilidade Social”, que relaciona o assunto com as questões LGBT. A realização do evento é da APROSMIG (Associação das Prostitutas de Minas Gerais) com apoio do CELLOS MG (Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual), Governo do Estado de Minas Gerais, TransENEM. A mediação do debate será feita por Vinícius Abdala. 

Abaixo, informações oficiais sobre o evento:

Putafobia é um termo recente, utilizado para evidenciar as violências específicas que perpassam as vidas das profissionais do sexo. O respeito à Identidade de Gênero é o tema da 19ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte, maior evento do Estado de Minas Gerais destinado às pessoas LGBTs e a visibilidade de suas pautas. Segundo a ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais), cerca de 90% da população de pessoas trans e travestis encontra-se, hoje, na prostituição. O próprio imaginário social, no que diz respeito à vida das pessoas travestis e transexuais, já atravessa o senso comum da prostituição como profissão não regulamentada. Nesse contexto, prostituir-se não se apresenta para muitas destas profissionais como uma opção, mas sim como única. Indo para além das questões políticas e estruturais de base que permitem ou não uma pessoa ter outras oportunidades para outros trabalhos, o propósito da mesa, que integra a programação da 3ª Jornada pela Cidadania LGBT, é discutir as intersecções entre um Estado Democrático de Direitos, Direitos Humanos, Direitos Trabalhistas, Políticas Públicas, Organização de uma Classe de Trabalhadoras e Organizações Sindicais e, claro, não menos importante, a autonomia de mulheres que, frente a novas opções ou não, escolhem a prostituição, de maneira consciente, como uma forma de sustento. 

Convidadas:

Letícia Barreto: Doutora do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sobre prostituição e feminismos em Belo Horizonte. Mestre em Psicologia, com área de concentração em Psicologia Social, e psicóloga pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atuou como Gerente do Programa de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (PETP/MG), vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDS) do Governo de Minas Gerais. 

Cida Vieira: Advogada e Prostituta especialista em fetiche; Presidenta da Associação de Prostitutas de Minas Gerais (APROSMIG); Conselheira da Rede Brasileira de Prostitutas; Representante da Rede Internacional de Prostitutas; ativista dos direitos da mulher e das profissionais do sexo.

Indianara Alves Siqueira: Ex-assessora parlamentar, transativista e puta. Fundadora da ONG CasaNem, que idealizou os cursos preparatórios para a educação formação e preparação para o ENEM às pessoas travestis, transexuais e transgênero, e que se espalhou pelo Brasil. Coordenadora da ONG Transrevolução. 

Serviço 
Debate “Putafobia: Negação de Direitos e Vulnerabilidade Social”
Data: 7 de julho (quinta-feira)
Horário: 19h
Local: Centro De Referencia Da Juventude (Praça da Estação, centro, S/N)