quarta-feira, 29 de junho de 2016

Acontece em BH, nesta quinta e sexta, o I Seminário de Estética Queer

Loading

Acontece nos dias 30 de junho e 01 de julho na Escola Guignard o I Seminárix de Estéticx Queer organizado pelas professoras Debora Pazetto (CEFET-MG), Mariana Lage (UFPA) e Rachel Costa (UEMG).

Reunidos na Escola Guignard, nesta quinta e sexta-feira, artistas da performance como Ana Luisa Santos, Igor Leal e Will’a Queer, professores e pesquisadores discutem o tema numa programação que inclui mostra de cinema, mesa de debates, lançamento de revista e performance.
Evento gratuito e aberto ao público

PROGRAMAÇÃO

Exposição dos alunos da disciplina “Filosofia da Arte” ao longo de todo evento

Dia 30/06 – Quinta-feira

18:00: Seção de cinema Queer
Curadoria: Núcleo de Audiovisual do Espaço Comum Luiz Estrela

19h30: Coffeebreak
Ação: “Entre nosotros no hay fronteras”, de Ana Katherine

20:00: Mesa “Estéticas Queer: caminhos do possível”
com Debora Pazetto (CEFET), Francisco Freitas (PUC-SP) e David Maurity (UFMG)

Dia 01/07 – sexta-feira

9h00 – Café da manhã queer

09:30 Mesa “Arte e Queer: performatividades em diálogo”
com os artistas Ana Luísa Santos, Will’la Queer, Igor Leal

11:00: Lançamento Revista “O que você Queer”
de Ana Luísa Santos e Fernanda Branco Polse

11:30: Performance de Arthur Camargos

===
Promoção: Extensão Escola Guignard
Organização: Debora Pazetto (CEFET-MG), Mariana Lage (UFPA) e Rachel Costa (UEMG/Guignard)


Sobre Queer

“Queer” é um termo usado desde a década de 1980 para designar pessoas que não se encaixam nas normas da heterossexualidade e da cisgeneridade, isto é, pessoas cuja identidade coloca em questão o binarismo de gêneros (homem/ mulher) e o binarismo de orientação sexual (heterossexual/ homossexual). A base dos Estudos Queer é afirmar que tanto a orientação sexual quanto a identidade de gênero são construções sociais, possibilitando assim a problematização do que é considerado como norma e do que é aceito socialmente como natural.

Termo bastante em voga no Brasil nos últimos anos, o queer coloca em discussão e torna visível diferentes formas de viver a sexualidade e os gêneros masculinos e femininos. No âmbito das artes, essa visibilidade se dá das mais diversas formas possíveis, tão diversas quanto são os seres humanos. Desta forma, é possível dizer que as artes queer e as estéticas queer se inscrevem no âmbito da ação política cotidiana que torna possível uma maior aceitação da diversidade. Sendo uma luta sobretudo pelo direito de existir na diferença, pelo direito à cidadania, ao respeito e à dignidade, as vivências e artes queer desfamiliaram nosso olhar sobre o mundo e nos convida a repensar as normas sociais e os espaços ocupados por gays, bissexuais, travestis, transexuais, hermafroditas, pessoas intersexos e formas ainda desconhecidas ou à margem de viver o gênero e a sexualidade.

Serviço
I Seminário de Estética Queer
Data: 30 de junho e 1º de Julho
Horário: diversos
Local: Auditório da Escola Guignard - Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) - Rua Ascânio Burlamarque, 540 – Bairro Mangabeiras
Ingresso: gratuito