sexta-feira, 20 de maio de 2016

Alunos da UNA lançam campanha contra LGBTfobia em BH

Loading


O melhor caminho para o combate ao preconceito é a conscientização. Essa foi a inspiração para a bela campanha #SemMoldura, criada e produzida por estudantes do Centro Universitário Una, em Belo Horizonte, que tem o objetivo de conscientizar a comunidade acadêmica e o público em geral sobre a importância de se respeitar lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. O lançamento da campanha ocorre, às 19h, na próxima segunda (23/05), no auditório do campus Liberdade 2 - antigo Teatro do Icbeu (R. da Bahia, 1.723, Lourdes). Uma mesa-redonda marcará o evento, gratuito e aberto ao público. A mesa e a campanha #SemMoldura ocorrem em comemoração ao Dia Mundial da Luta contra a LGBTfobia, 17 de maio.

“O mote da nossa campanha é ‘O que transborda é o que te faz’. O respeito acontece quando reconhecemos as pessoas como elas são. Por nisso, nossa campanha se chama #SemMoldura. Convidamos o público a se livrar de seus preconceitos. É uma iniciativa inédita na área da educação privada: uma campanha institucional criada apenas por alunos”, explica Eduardo Marques, aluno do 5º período de Publicidade e Propaganda, um das responsáveis pela campanha. A campanha foi desenvolvida em uma disciplina e escolhida em um concurso interno. Eduardo também serviu como modelo para campanha. Em um dos cartazes, ele aparece de terno e gravata segurando sapatos de salto alto prateados (imagem acima).



Personagens conhecidos da cena cultural belo-horizonte também são retratados na campanha, como os artistas Ed Marte e Cristal Lopes (imagem acima). Com peças gráficas e suporte de um hotsite (http://unasemmoldura.com.br/), a campanha conta também com ações fotográficas em três campi do Centro Universitário Una: Liberdade, Linha Verde e Contagem. Todas as fotos serão divulgadas na página do Facebook do projeto de extensão Una-se contra a LGBTfobia.

“É muito gratificante saber que nossa campanha pode vir a mudar a forma de pensar de alguém. Como mulher bissexual, sinto na pele diariamente os desdobramentos da LGBTfobia. Com a campanha, tive a oportunidade de conhecer e conviver com pessoas que possuem experiências diferentes da minha, mas que bradam pela mesma causa: respeito. A produção deste trabalho, além de ter me feito aprofundar academicamente em conceitos e teorias, me trouxe uma troca de experiências de vida, e isso não tem preço”, acredita Sâmara Paz, também criadora da campanha e aluna do 5º período de Publicidade e Propaganda.