segunda-feira, 11 de abril de 2016

Em documento, Papa pede compreensão aos homossexuais

Loading

O Papa Francisco pediu mais compreensão com relação às famílias não tradicionais.  No documento “A Alegria do Amor”, divulgado no último dia 8, ele pediu aos sacerdotes de todo o mundo aceitar gays e lésbicas, divorciados católicos e outras pessoas que vivem em o que a igreja consideradas situações “irregulares”. 

No documento, Francisco também afirma que “em cada país ou região, é possível buscar soluções mais inculturadas, atentas às tradições e aos desafios locais”. 

Sobre os direitos dos homossexuais, o Papa diz ainda que “qualquer pessoa, independentemente de sua orientação sexual, deve ser respeitada em sua dignidade e tratada com consideração”. 

De acordo com a publicação,  é preciso que a dê a “assistência que eles precisam para entender e levar plenamente com elas a vontade de Deus em suas vidas” para as pessoas com "orientação homessexual" (termo utilizado no documento). 

Apesar do pedido de compreensão, o papa Francisco fez uma ressalva clara em relação ao reconhecimento da união gay. “Temos de admitir a grande variedade de situações familiares que oferecem certa estabilidade, mas uniões ‘de facto’ ou do mesmo sexo não podem ser simplesmente equiparadas ao matrimônio. Nenhuma união que é temporária ou fechada à transmissão da vida pode garantir o futuro da sociedade”, afirmou.

O documento também trata de assuntos que são condenados pela igreja católica, como o divórcio e o aborto.