quinta-feira, 24 de março de 2016

ExcluZivo: Daniela Mercury fala sobre participar do Superstar e não vir em BH há quase 10 anos

Loading



Daniela Mercury esteve recentemente em Belo Horizonte, como atração principal da sua festa/show “O Baile da Rainha Má”. O Muza estava presente e conseguiu fazer uma breve entrevista com a baiana que é referência na Axé Music e MPB, além de, claro, para as lébiscas e bissexuais do Brasil. 

Sobre o show de Daniela, ela é uma das poucas artistas que consegue levar para o palco a brasilidade, com diversas referências afro-brasileiras, sem parecer piegas. Ela foge ao puro entretenimento, como é o caso de Ivete Sangalo e Cláudia Leite, outros fortes nomes da Axé Music. Daniela também não é alheia a questão política nacional e realidade LGBT do país. Tanto, que em algum momento de interação com o público ela declarou:

"Não existe certo ou errado. Bem ou mal. O que existe são convenções sociais". 




As ótimas fotos são do  nosso querido parceiro e fotógrafo Diego Moreira

Abaixo, a entrevista, na qual Daniela fala sobre sua participação na nova temporada do programa Superstar, da Globo, e sobre não vir a BH há quase 10 anos e conhecer, pela primeira vez, Inhotim.

Há muito tempo que você não se apresenta aqui, né? 
Sim, bastante tempo. Eu vim para a  Fanfest, mas a minha última turnê eu não consegui trazer para Belo Horizonte. Estava com saudade. Já são quase oito anos ou nove anos que eu não venho aqui.

Você tem alguma memória do pessoal de BH?
Vocês estão em todos os lugares né? Eu vejo vocês em todas as partes do Brasil e fora do Brasil também. Eu amo esse lugar, hoje tem aqui o Inhotim que eu adoro.

Você agora vai participar do Superestar e chegou a participar do The Voice Kids em Portugal...
É, eu fiz o "Operação Triunfo" na Espanha, em Portugal, participei de alguns realities nesses últimos anos. 



Como é pra você participar desses programas?
Acho que nós artistas consagrados, nós que já somos referências, já somos também um pouco desse crivo... já legitimamos o trabalho desse pessoal que está começando. No caso da minha participação no reality, eu vou tentar estimular essas pessoas a fazerem música da melhor maneira possível. Mas me interessa muito a originalidade, pois é o DNA de cada um que é incrível. É isso que eu pretendo ver nesse programa. Por que nesses programas você tem que julgar interpretes, então é importante ter isso. 

O que as pessoas podem esperar do show de hoje? 
Essa turnê tem o nome "Baile da Rainha Má" porque a rainha má é esse "alter ego" da rainha do axé, tem esse lado meu que tá muito claro em muitas músicas. É um lado meio rock, de estar me posicionando sempre sobre os assuntos mais densos. Então a rainha má é a que vai mostrando que não eu não sou Cinderela nem Bela Adormecida! O show então tem músicas que fazem parte da minha história e músicas do meu disco novo. Gostaria de cantar outras, mas o show teria 4 horas de duração. Então eu tive que selecionar mais. A banda é formada em sua maioria por músicos que já estão há muito tempo comigo.