segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

O legado de David Bowie para o mundo LGBT

Loading

O mundo acordou nesta segunda-feira, 11 de janeiro, um pouco mais careta, mais chato e menos divertido. Passamos a viver em um mundo sem David Bowie que, vítima de um câncer, faleceu aos 69 nove anos no último domingo

O artista  não foi só responsável por deixar um legado musical. Bowie foi quem transformou o estranhamento em arte e influenciou diversos artistas contemporâneos, como Madonna e Lady Gaga. Entretanto, um de seus maiores legados refere-se à liberdade sexual e androginia, do qual ele foi pioneiro. Bowie ousou ao ser andrógino em um tempo em que era crime ser homossexual. 

Ainda que reservado em relação à vida pessoal, ele, em 1972, se declarou gay em entrevista à Melody Marker. Posteriormente, disse à revista Playboy que era bissexual. Ele que teve suas primeiras relações sexuais com garotos e garotas aos catorze anos e afirmou que não se importava com o sexo da pessoa, contanto que fosse uma boa “experiência sexual”.



Ao criar e reinventar constantemente o seu próprio estilo, o artista quebrou barreiras ao se vestir sem pudores e ao questionar a separação de gênero no vestuário. Na época, a androgínia característica de Bowie o tornou sedutor, pois ele soube explorar as possibilidades ao se vestir sem se limitar ao gênero, o que o transformou em uma própria obra de arte. 

Em 1970, por exemplo, Bowie usou um vestido hippie na capa do disco "The Man Who Sold The World", foi nesse momento que ele reafirmou a sua tendência andrógina. 


Anos mais tarde, em 1973, o cantor passou a usar salto alto em seus shows. Foi o início da era glam rock de Bowe. A criação de um o alter ego extravagante no álbum "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and The Spiders From Mars" fez com que Bowie abusasse também dos collants e maquiagens fortes. 

Para além do mundo da moda e Independentemente da sexualidade de Bowie é  evidente que o astro tornou-se um ícone revolucionário para a comunidade LGBT. Em vida, ele questionou os limites do que era e não era aceitável e sua  ambiguidade sexual ajudou outras pessoas a se expressarem. Não é exagero dizer que ele foi um grande expoente na criação de um cenário queer no mundo atual. 


por Mariana Alencar (convidada especial)
Jornalista, fã de David Bowie, Beatles e drag queens.