sexta-feira, 31 de julho de 2015

Ivete Sangalo: “Se meu filho, no futuro, falar para mim que é gay, vou dizer ‘que maravilha’”

Loading


Que algumas cantoras são queridas pelo público gay isso nem precisa falar e elas já sabem disso, mas quando algumas dessas muzas falam a favor dos LGBT elas ficam ainda mais simpáticas. Recentemente, quem fez diversas declarações a favor dos homossexuais foi Ivete Sangalo. 

Em uma coletiva de impressa realizada essa semana, para divulgar sua festa Chá da Veveta, que acontece nessa sexta-feira, 31, no Rio de Janeiro  - que terá participação de Preta Gil, Anitta e Alinne Rosa - com grande foco no público gay, a baiana falou sobre aceitar ou não se o seu filho Marcelo, de 5 anos, se revelar homossexual e sobre a dificuldade da sociedade em lidar com a homossexualidade. 

“Confesso que fico constrangida de ter que falar sobre aceitação aos gays porque o respeito é uma substância da vida. Não temos que questionar isso. Se meu filho, no futuro, falar para mim que é gay, vou dizer ‘que maravilha’. Vamos ser felizes! Ser gay não pode ser uma condenação. A pessoa nasce assim e precisa ser feliz dessa maneira”,

“O que a sua orientação sexual interfere na minha vida? Nada. Agora, se você está feliz, isso muda muito na minha vida e na sua. Felicidade é a grande tônica do meu cotidiano. Os gays merecem todo o amor e respeito do mundo”.

Também há pouco tempo, em entrevista ao colunista Bruno Astuto ela falou sobre a ignorância em discutir a sexualidade de uma pessoa e os direitos civis que ainda não são conquistados pelos homossexuais.

“Não entendo, nessa altura do campeonato, se discutir a orientação sexual de qualquer pessoa. É até uma ignorância. Tenho 22 anos de carreira, sempre tive fãs de todas as orientações sexuais. Na verdade eu nunca notei o gay, o hétero, sempre respeitei a minha relação com os fãs, que é de amor mútuo. Então, nunca segmentei qualquer parcela do meu público” 

“De que adianta ter tudo na vida, se não se tem a liberdade de se relacionar com quem se quer, de externar o que realmente se sente? Estamos falando de direito e respeito. E é tão honesto você amar verdadeiramente uma pessoa, seja ela quem for, isso independe da sua escolha sexual. Para mim, soa até estranho abordar essa questão, porque ela é tão orgânica: você ama aquela pessoa e pronto, é muito simples. Não importa a altura, a cor, o sexo. É amor, puro e simples”,