terça-feira, 10 de março de 2015

Nova Lei do Feminicídio não contempla mulheres trans, Pitty e Jean Wyllys lamentam, mas Dilma cita preconceito contra LGBT no discurso

Loading

Sancionada nesta segunda-feira, 9 de março, pela presidenta Dilma Rousseff a lei que tipifica o feminicídio - o assassinato de mulheres decorrente de violência doméstica ou discriminação de gênero  - como crime qualificado e hediondo representa mais um avanço na luta contra a violência doméstica, a exemplo da Lei Maria da Penha, contudo, ela não contempla as travestis e transexuais.

Em sua conta no twitter, a cantora Pitty comemorou a aprovação, porém, se disse decepcionada pelo fato das mulheres trans terem sido deixadas de lado. "Comemoro o avanço da lei na questão do feminicídio, mas fico triste que a mesma não contemple as mulheres trans", afirmou na rede social.

Durante discurso nesta tarde no Palácio do Planalto, ao defender  a sanção da lei, Dilma salientou a importância de se punir com mais rigor os crimes contra a mulher, e lamentou que a homofobia é fruto de intolerância e preconceito. 

Estaria a presidenta adiantando seu comprometimento com a aprovação da lei que torna crime a homofobia, bandeira assumida por ela durante a campanha eleitoral? Enfim, nos resta continuar acompanhando e cobrando! Como afirmou o deputado federal Jean Wyllys, ontem no facebook: a luta diária das mulheres cis e transgênero jamais será calada! 

No twitter oficial da presidenta, o preconceito contra os LGBT também foi mencionado, como podem ver na imagem abaixo.