quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Na fase final, candidatos abordam pautas LGBT em suas propostas

Loading



O Muza está de olho nas eleições 2014, principalmente no que diz respeito aos direitos LGBT abordados na corrida presidencial. E o fato mais interessante é que os candidatos resolveram focar, durante essa fase final, no compromisso com as questões da população homoafetiva.

Aécio Neves recebeu, recentemente, o apoio do fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB), Luiz Mott. Dilma Roussef já conta com o voto do deputado federal Jean Wyllys e dos que o reelegeram.

Após anunciar o apoio Mott publicou, eu seu perfil nas redes sociais, uma carta enviada ao ex-senador mineiro, listando 12 reivindicações do movimento LGBT. Entre elas estão a aprovação da Ação ADI 4275, que dispões sobre o direito de retificação do nome de pessoas transexuais, a "atuação firme" pela aprovação do marco legal da punição para crimes por homofobia e o fortalecimento do programa de combate ao HIV.

Em carta publicada no site da revista Carta Capital e divulgada nas redes sociais, Wyllys afirma ter conversado com Dilma, por telefone, para informar sua posição. Na oportunidade a presidente afirmou compromisso com assuntos defendidos pelo parlamentar, tais como a criminalização da homofobia em consonância com a defesa de um estado penal mínimo e a legalização de uma realidade jurídica: o casamento CIVIL igualitário.

De acordo com o site da campanha de Aécio, o candidato possui uma carta de apoio de representações de vários partidos políticos por meio de seus segmentos: a Diversidade Tucana (PSDB), PV Diversidade (PV), PPS Diversidade (PPS), PTB Diversidade (PTB), LGBT Socialista (PSB) e Rede Diversidade (Rede).

Os compromissos da candidata Dilma, também estão disponíveis no web site da campanha. Destacam se o documento intitulado "13 COMPROMISSOS PARA GARANTIR OS DIREITOS LGBT", que inclui a criminalização da homofobia /defesa do Estado laico e o anuncio do Disque 100 como canal para denunciar também casos de violência envolvendo homofobia.

Esperamos que tanto as instituições, parlamentares e cidadãos se lembrem e se comprometam a cobrar do candidato escolhido a efetivação dos diversos compromissos agora firmados efetivando as reivindicações do movimento LGBT no Brasil.