quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

No Rio de Janeiro acontece Mostra sobre personagens gays no cinema brasileiro

Loading

Essa dica é para quem está no Rio de Janeiro, mas é uma inspiração para as outras cidades (alô BH!) e também uma ótima fonte de pesquisa para os cinéfilos de plantão:

Começou essa semana no Rio de Janeiro e segue até o dia 16 de fevereiro a Mostra  “O Personagem Homossexual no Cinema Brasileiro”, com uma seleção de filmes que retratam o tema. A programação reúne 17 longas e 5 curtas, além de duas mesas de debate com a presença de cineastas, historiadores e estudiosos. 

A mostra é uma realização do “Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais” e tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal. Programação completa no site oficial

Cena do filme "Aqueles Dois" (1987)

Sobre a Mostra

O mote principal da mostra é traçar um panorama histórico sobre como os gays foram retratados nas produções cinematográficas brasileiras ao longo dos anos. Até o fim dos anos 1980, salvo raras exceções, os gays eram representados através de um personagem secundário, marginalizado ou caricato. Nos anos 1990, devido às mudanças políticas, sociais, culturais e tecnológicas, esses personagens começaram a ser retratados de outra forma, saindo da marginalidade para assumir o papel de sujeitos do discurso.

O público da mostra poderá acompanhar nas telas essa evolução. Se em “Gugu, o bom de cama” (1980), de Mario Benvenuti, Agildo Ribeiro encarna um gay cheio de maneirismos caricatos, em “Madame Satã” (2002), de Karin Ainöuz, Lázaro Ramos assume o lendário personagem carioca em um filme preocupado em abordar situações e dilemas existenciais específicos do tema.

O panorama também exibirá filmes pouco conhecidos pelo público contemporâneo, como “A Casa Assassinada” (1971), de Paulo César Saraceni, e “Vera” (1986), de Sérgio Toledo. Também haverá espaço para clássicos como “O Beijo no Asfalto” (1980), de Bruno Barreto, “Gisele” (1981), de Vitor di Mello, e “Anjos da noite” (1987), de Wilson Barros, além da ousada experimentação estética de “Bocage – O Triunfo do amor” (1997), de Djalma Limongi Batista. Entre as produções mais recentes, estão o documentário “Meu amigo Cláudia” (2009), de Dácio Pinheiro, que será exibido na noite de abertura, e “Como esquecer” (2010), de Malu de Martino.

“Além de possibilitar uma visão compactada da evolução do tratamento dado aos personagens gays, através da exibição de filmes de décadas passadas, é uma oportunidade de reavaliar como o cinema brasileiro está vendo os personagens homossexuais nos filmes da produção atual, destacando, principalmente, o nivelamento destes filmes com os recentes movimentos gays de reivindicações, e como estão focando questões como convivência, inclusão e atuação no espaço social em que os gays estão sendo situados”, afirmou o curador Antônio Moreno.

Cena do filme "Como Esquecer"  (2010)

Debates

Duas mesas de debate serão realizadas durante a programação. No dia 7, os jornalistas e críticos de cinema Susana Schild e José Carlos Monteiro se unem ao curador Antônio Moreno para abordar temas como lesbianismo e voyeurismo, além dos estereótipos do gay no cinema.

No dia 14, Antônio Moreno estará com o cineasta Luís Carlos Lacerda e o antropólogo e ativista gay Luiz Mott para abordar assuntos como o gay e a cidade grande e a evolução do tema homoafetivo no atual cinema brasileiro.

Cena do curta "Verdade ou Consequencia" (2010)

Serviço:
Mostra “O Personagem Homossexual no Cinema Brasileiro”
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinemas 1 e 2
Abertura para convidados: 3 de fevereiro (segunda-feira)
Exibição para o público: de 4 a 16 de fevereiro de 2014 (terça-feira a domingo)
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Horário: Consultar programação
Entrada: R$2 (inteira) e R$1 (meia)
Lotação: Cinema 1 – 78 lugares (mais 3 para cadeirantes); Cinema 2 – 80 lugares (mais 3 para cadeirantes)
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Classificação: Consultar programação
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal
Acesso para pessoas com deficiência