quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Conheça o projeto “Sinta muito, Brasil” que visa à criminalização da homofobia no país

Loading



O ator e roteirista Aloísio de Abreu teve uma bela iniciativa no combate à homofobia no Brasil. Recentemente, ele criou o projeto “Sinta muito, Brasil”, que inclui uma fanpage no Facebook, intitulada “Sinta muito, Brasil” e criou diversos e interessantes vídeos.

Em um deles, há depoimentos de celebridades e personalidades como: Cissa Guimarães (Atriz), Fernanda Lima (Apresentadora), Lucinha Araújo (Presidente da Sociedade Viva Cazuza), Ricardo Waddington (Diretor), Delegada Marta Rocha (Chefe da Polícia Civil), José Maurício Machline (Criador do Prêmio da Música Brasileira), Marcelo Serrado (Ator), Fred Tkotz (Músico), Beth Goulart (Atriz) e Heloísa Perissé (atriz).

Em outro, ele colou um cartaz em poste no Rio de Janeiro, próximo a um sinal de trânsito, contendo os dizeres: “O que você faria se soubesse que seu irmão, primo, colega de trabalho, tio, foi surrado, torturado, assassinado, só porque é gay? Isso é homofobia!”. No vídeo, ele filma a percepção das pessoas sobre o cartaz.

Em recentes entrevistas ele falou sobre a ideia:

“Eu não sou ativista e nem militante. Sou artista. Ralo à beça, pago meus impostos, sou gay, carioca, brasileiro, enfim, um cidadão igual a todo mundo”...

“Um dia, conversando com o Carlos Tufvesson,Coordenador da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio, fiquei sabendo que houve um aumento de mais 46% de assassinatos por motivos homofóbicos. Eu me perguntei: por que a homofobia – aquela que fere, lesa a integridade física ou mata – não é criminalizada? Qual o motivo?”.

“É uma campanha a favor da criminalização da homofobia. Por que a homofobia ainda não é crime no Brasil? É uma indagação! Convidei pessoas relevantes, como a delegada Martha Rocha e também gente do dia a dia, que eu conheça. E não são gays ou lésbicas. Mas podem ter um parente ou um grande amigo gay que têm influência em casa e serão vítimas de qualquer forma”

No Facebok consta a descrição da campanha: “uma campanha informal a favor da criminalização da homofobia. Esta é a página que vai rceber oipiniões, sugestões, likes e etc”. Veja abaixo, os excelentes vídeos. Estão previstos mais dos vídeos, que deverão ser lançados em breve.