sexta-feira, 16 de agosto de 2013

ColunaZs – “Envelhecendo sem pedir desculpas”

Loading

 
Hoje é aniversário da nossa Rainha, Madonna. 55 anos.

Como bem disse Ronald Villardo, ano passado, em seu Blog “(...)Madonna ousou ser o primeiro ícone pop do planeta a envelhecer na frente do seu público. Ela não morreu antes dos 60 anos, como Michael Jackson. Nem decidiu se esconder como David Bowie. Muito menos vive de sucessos do passado, como Cindy Lauper ou Elton John, já que, aparentemente, viver de greatest hits alivia a barra e conquista simpatia do público diante do popstar, digamos... "sênior".”

Exatamente o que Madonna fez. Em uma sociedade obcecada com juventude, onde envelhecer é um problema, a "múmia” ignorou os estigmas da idade e continuou produzindo. Não parou de dançar por ter passado da fase popstar novinha, assumiu o controle de seu corpo, manteve a forma física e continuou a todo vapor. Não venceu o tempo, pois é humanamente impossível. Mas não se rendeu aos preconceitos com sua idade.

Sua última turnê, realizada durante seus 53 e 54 anos foi de tirar o folêgo. O que chamaríamos de senhora estava lá no palco esbanjando uma energia que poucas pessoas conseguem em seus 20 anos de idade. E convenhamos, 50 anos nos padrões de hoje não é velhice. A expectativa de vida só cresce, mas parece que nossos conceitos de idade permanecem estáticos. 50 anos, hoje, representam apenas a fase adulta, não é velhice, hora de parar, hora de diminuir o ritmo. É hora de apenas ter consciência de que o tempo passa, mas que “envelhecer”, da forma pejorativa, é coisa para aqueles que se permitem.

Madonna faz hoje 55 anos. Sem medo do número que parece gigante para aqueles que ainda tem seus 20, 30 anos. Um número que assusta, como se a ‘vida’ de verdade tivesse chegado ao fim. Uma idade que deve assustar mais quem ainda não chegou lá, do que quem já tem ou passou dela. As pessoas que criticam a cinquentona são as mesmas que se acham velhas antes dos 30, como se vivessem no começo do século passado. A vida estagna quando a deixamos estagnar, paramos de produzir quando ficamos parados. Não importa a idade.

Manter a carreira, a vida, como Madonna faz não é negar a idade, é abraçá-la da forma mais positiva possível. É juntar toda sua bagagem, experiência e usá-las a seu favor.

Espero eu chegar aos meus 55 tão bem, ou melhor, que a Rainha. Não vou parar, não serei senhor! Com 55 ainda estarei jovem.

A vida é curta demais para me permitir parar por um número.

Parabéns Madonna, pelos seus poucos 55 anos de vida. Quem venham mais 55...

p.s.: Fica aí uma música super adequada. Envelhecer... It’s human nature!


*Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado. The bitch says: follow my ass!