quarta-feira, 5 de junho de 2013

ColunaZs - “Violências, só um detalhe?”

Loading

Quando se diz a agressão, violência, provavelmente lhe vem à cabeça algo físico. Acertei?

Talvez algo verbal também, um xingamento. Acertei de novo?

Mas já pensou em outras agressões? Violências mais silenciosas, mas tão horrorosas quanto as outras, algumas até mais. Te negar um direito é violentar sua humanidade, agredir sua existência. Existem pequenas agressões com as quais aprendemos a conviver, e isso é um problema. Não falamos para ninguém conviver com os tapas do marido. Porque devemos conviver com agressões aos nosso direitos?

É verdade que os direitos LGBTT vem sendo mais reconhecidos. Mas ainda há muito faltando. Não estou me referindo apenas as leis. Pois racismo é crime, e pessoas ainda são violentadas por questões de raça. 

O simples chamar de “bixa”, de forma pejorativa, é uma agressão. Negar direitos, é agredir. Impor crenças, é violência. Ridicularizar alguém por sua orientação sexual, é violência. Gritos, são agressões. Propagandas preconceituosas, são violentas. Chamar alguém de macaco, é violência. Diminuir a mulher com falas machistas, é violência. Todo, e qualquer, desrespeito é, de uma forma ou de outra, uma violência, uma agressão.

Não vejam isso como paranoia. Não estou dizendo que chamar de viado, de forma pejorativa, é a mesma coisa que espancar até quase matar. De forma alguma. São coisas diferente. Mas quase matar ser mais grave que um xingamento, não torna o xingamento insignificante. Ele é grave, gravíssimo, e quase matar é ainda pior. 

O fato de existirem violências, agressões, mais graves não elimina as outras. Percebo em muitas pessoas tal comportamento. Quando chamamos atenção para um “detalhe”, dizem que estamos prestando atenção em “coisa boba”, pois tem gente sendo esquartejada. Um “boiola” pode parecer pouco perto de uma surra, mas o agressor não começou distribuindo socos. O comportamento homofóbico foi construído, ninguém nasce assim. Ele começou xingando alguém, esse “detalhe” passou despercebido, as agressões evoluíram, cresceram. 

Olhar para as coisas como um todo é conseguir enxergar um sistema. As coisas não acontecem de forma isolada. Os detalhes que vão se juntando aqui e ali, comportamentos são aprendidos, reforçados. Uma propaganda com “machismozinho” reforça o pensamentos que já existem de alguma forma. 

Violências e agressões nem sempre são óbvias, as vezes é complico enumerá-las. Mas tome cuidado, pois já devem ter te agredido várias vezes e você ignorou. Mas era só um detalhe...


*Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado. The bitch says: follow my ass!