sexta-feira, 12 de abril de 2013

Torcedores do Atlético e do Cruzeiro criam páginas nas redes sociais para combater preconceito e homofobia nas torcidas

Loading




O poder das redes sociais ainda é incalculável. Um exemplo positivo neste sentido são as recentes fanpages de torcedores homossexuais e/ou simpatizantes do Atlético Mineiro, Galo, e do Cruzeiro. Isso mesmo!

Os fãs atleticanos criaram o Galo Queer no Facebook  há menos de uma semana e já tem quase 4000 seguidores. Eles também criaram um perfil no Twitter. 

Na definição oficial consta: “ é o movimento anti-homofobia e anti-sexismo no futebol dos torcedores do Atlético Mineiro, vulgo Galo Doido. Porque paixão pelo Galo não tem nada a ver com intolerância”.

Já os cruzeirenses criaram a fanpage Cruzeiro Anti-homofobia há menos de 24h e já tem quase 1500 “likes” no Facebook.  Ainda não há perfil no Facebook. A descriação deles é mais detalhada, mas o objetivo é mesmo:

“Essa página é um movimento anti-homofobia e anti-sexismo no futebol brasileiro e no geral, organizado por torcedores do Cruzeiro, mas que não se restringe aos mesmos. Futebol é diversidade e não um ambiente hostil que incita violência e preconceito

Por acreditarmos que o futebol expressa de forma muito clara a heteronormatividade gritante em nossa sociedade, decidimos nos posicionar e discutir dentro das próprias torcidas a homofobia e o culto ao machismo nos estádios, mesas de bar, centros acadêmicos e quaisquer outros lugares. Nesse sentido, essa página propõe-se a debater os preconceitos de gênero e articular politicamente os torcedores do Cruzeiro para ações críticas. Não é preciso ser gay para apoiar o combate à homofobia".

As postagens, em ambos, procuram relacionar de alguma forma a homossexualidade e o futebol, como a imagem abaixo, postada no GaloQueer, que traz a cantora Cássia Eller vestida com a camisa do time.  Mas também há espaço para divulagar links interessantes como o artigo do Dr. Drauzio Varella sobre homossexualidade. 

EM TEMPO - Se você acha que parou por aí.. torcedores do Palmeiras e do Corintinhas também tem suas respectivas páginas:  “Corinthians Livre” e “Palmeiras Livre”.