segunda-feira, 1 de abril de 2013

Para rir ou chorar? Veja os vídeos: “trollei minha mãe fingindo que era gay” e “trollei meu pai fingindo que era hétero”

Loading


Não é regra, mas uma das coisas que mais gosto nos gays é o senso de humor, mesmo quando a situação é tensa. 

Na última semana o internauta Rafael Araujo, que se define como uma pessoa que tenta fazer “uma comedia boba e barata”, divulgou na web o vídeo “trollei minha mãe fingindo que era gay, olha oque deu”. No vídeo, como o nome sugere, ele finge que é gay para a mãe e registra tudo no vídeo. Ele consegue fazer um papel divertido, ao dizer que o tal namorado é o amor de sua vida e ao pedir sua mãe para esperar ele terminar a ligação para explicar, já que ela cobra uma explicação diante do “espanto”. A reação da mãe é uma das piores possíveis, ela avança no filho e começa a bater nele.  O vídeo até rendeu um bordão no qual o Rafael, apanhando diz: “Que mundo é esse que ninguém escolhe a sexualidade”. O vídeo já teve mais de 4 milhões de visualizações.

Com certeza não é possível apenas rir vendo o vídeo, mas se objetivo era rir, o ator Tiago Costa fez uma paródia do mesmo com a proposta inversa: “trollei meu pai fingindo que era hétero, olha o que deu”. No vídeo, hilário, ele diz que vai assumir o filho com a tal Vanessa e o pai, como a mãe no vídeo original, bate nele e ele diz o bordão: “Que mundo é esse que ninguém escolhe a sexualidade”.

Apertem o play e chorem... ou riam! ;)



Dica do Flavimar Diniz.