domingo, 28 de abril de 2013

ColunaZs - "Rucapitulando: Aquele que a gente pensou que era o fim" (episódio 12 do RuPauls Drag Race)

Loading



“this is the beggining for the rest of your life!”

Atenção: Este texto contém spoilers do décimo segundo episódio de RuPaul’s Drag Race, quinta temporada. A série é exibida no Brasil por alguns canais de TV a cabo, mas é possível encontrar links para ver por streaming internet afora. Há ótimas fan-pages no Facebook sobre o programa com dicas ótimas de onde ver! 

Anteriormente, em RuPaul’s Drag Race: as bonitas se jogaram nos doces para criar três looks incríveis trabalhados no açúcar. Alaska foi a que melhor incorporou o espírito candy shop e foi a vitoriosa. Depois de um lipsync histórico, Jinkx mandou Detox para casa.

No segundo rucap que fiz dessa temporada cantei a bola de que Alaska, Roxxxy e Detox estariam na final, e que Coco, Alyssa e Lineysha corriam por fora. Bom, tirando essa loucura que foi colocar a latina em um possível top 3, até que fui bem acertando duas bonitas da final. Jamais esperaria que Jinkx fosse render alguma coisa. Ela estava tão apagada nos primeiros episódios que eu jurei que ela fosse rodar cedo. A bonita, entretanto, se fez de morta muito bem para acordar (sem trocadilhos) na reta final e chegar lá como a favorita para esse título. 

O último episódio, entretanto, não foi um ato de salvação para essa temporada. Poderíamos ter visto algo bem mais interessante mas vimos apenas o fechamento dessa season bem meia boca. E, repito, muito culpa desse elenco capenga que foi escolhido. Tanto é que só agora a edição conseguiu transformar uma drag em vilã. O que, infelizmente, não ajudou muito, porque a Roxxxy acabou ficando muito mais com um ar de deboche do que de bitch.

O último desafio das temporadas, desde a primeira, é gravar o vídeo de um dos singles da RuPaul. Então as drags têm que bolar os looks, ensaiar a coreografia, criar o conceito de maquiagem e, algumas vezes, contracenar com RuPaul. Para essa temporada, a música escolhida foi The Beggining, e ninguém entendeu o motivo dessa escolha, já que esse single não é tão novidade assim. Coisas da RuPaul maluca. 

Só que, para esse desafio, além de gravar as partes de dança, as drags também teriam que gravar uma cena em um tribunal, com cada uma fazendo a acusada, a advogada de defesa e a promotora. Ou seja, teriam que criar as histórias das três personagens. E, por fim, no palco principal, teriam que se defender e justificar por quais motivos elas achavam que deveriam sair dali com a coroa. Tantos desafios para ver se de fato alguma delas se sobressaía. 

Para a parte do clipe, uma coreografa veio ensinar as bonitas a trabalhar com um pedaço de tecido e um ventilador. Ou seja, elas tinham que bater cabelo mesmo. Roxxxy parecia estar em casa, na frente do espelho, imitando a Beyonce, tamanha naturalidade em girar a peruca, quanto Alaska e Jinkx se esforçavam para não passar vergonha. 


Na segunda parte, o júri, as bonitas tinham que dar toda uma história e defender as personagens. Desafio perfeito para Jinkx, que tinha tudo na ponta da língua: quem era, de onde vinha, qual a motivação para determinada fala. Ter essa pegada cômica facilitou muito para ela. Alaska estava muito bem e Roxxxy passou um pouco de vergonha. De volta ao ateliê, a bonita ainda reclamou com as outras que levava drag muito a sério e que Jinkx e Alaska fizeram pouco caso do desafio. O que, obviamente, não passava de recalque porque ela conhece as limitação.


Aliás, nos bastidores, vimos um show de baixarias (adoro) de Roxxxy com Jinkx. Mas tudo foi explicado pela Alaska: Roxxxy vem do universo das drags que participam de concursos de beleza, como se fossem Miss Universo. E essa desestabilizada emocional é bem comum nos camarins desses eventos, cada uma tentando passar a perna na outra. Como ali vale tudo, Roxxxy jogava com as armas que tinha. 

Na passarela, as drags tiveram um tempo, depois de desfilar, para se defender. Roxxxy e Alaska vieram com looks incríveis, enquanto Jinkx estava igual a todos os dias. Quando começaram a falar, cada uma vendeu seu peixe, e Roxxxy ainda aproveitou para pedir desculpas para Jinkx, pelo que tinha dito antes. Claro, porque na frente da RuPaul é bem melhor pagar de boazinha, de justa, de correta. Porém, as duas não foram nem um pouco incríveis nos discursos. Se perderam, enrolaram e acabaram só dizendo os motivos pelos quais elas deveriam ficar. Acontece que a tarefa era, além disso, mostrar o que o outro não tinha e que faria falta para a ganhadora, quais eram os atributos essenciais que as demais não apresentavam. E, nesse ponto, Alaska foi a melhor. Parecia que ela estava fazendo o discurso de posse da presidência dos Estados Unidos, tamanho o empenho que ela colocou em cada palavra. 


Com as drags se destacando em cada uma das partes do desafio, RuPaul não teve escolha e colocou as três no lipsync. E cada uma fez da sua maneira. As três estavam ali se representando e, mais que isso, mostrando para a RuPaul que elas podem ser as embaixadoras do programa mundo afora, na turnê da Absolut, em campanhas de publicidade, em músicas que lançarem.

Quando a dublagem acabou e pensamos que finalmente veríamos a ganhadora, RuPaul anuncia que o nome da coroada será informado no próximo programa, que é quando todas as competidoras se reúnem para verem melhores momentos, lavar roupa suja, contar algum caso que ficou nos bastidores. O mesmo que aconteceu ano passado. 

Antes de terminar, contudo, RuPaul convocou o público para votar na drag favorita pelo Facebook, Twitter, Instagram, GetGlue, Pinterest, Tumblr e, se der bobeira, também pelo Grindr, Scruff, Manhunt e similares. Ninguém sabe até que ponto a RuPaul leva as votações em consideração, se é que leva. Mas isso ajuda a criar um barulho em torno da final e da ganhadora. 

E tentar prever quem vai ganhar esse programa é uma tarefa difícil. Jinkx é, pelo que vi, a favorita do público, e também é a drag cômica, a drag pastelão da vez, cota que ainda não foi preenchida. Roxxxy, apesar de ser colocada como vilã, jamais foi uma, e conta com um grupo bem grande de fãs. Pode ganhar pela cota das plus sizes e por ter uma descendência latina. E, por fim, tem Alaska, que também cairia na cota da comédia, porém acredito que ser namorada da campeã da temporada passada tire um pouco do mérito dela – apesar do Santino dizer que ela conseguiu se firmar por conta própria no programa. Se eu tivesse que apostar, nesse momento, colocaria meu dinheiro na Jinkx. Os prognósticos, para ela, estão bem mais favoráveis que para as outras drags, alem dela contar com o fator público. Vamos ver se RuPaul vai levar tanto em consideração a palavra final ser dela ou vai ouvir os telespectadores dessa vez. “And may the best woman wins!”

Texto de Flavimar Dïniz. Ele está na internet desde 1999, quando sofria com conexões discadas e downloads a 3.4 kbps. Começou no mundo dos blogs em 2002 e não entende como não ficou rico com internet igual a tantos outros de sua geração. Adora música, cinema, literatura e jornalismo, sua formação profissional. Escreve sobre o ele achar que dê um texto de mais de 140 caracteres.