terça-feira, 30 de abril de 2013

Projeto de “cura gay” tem texto aprovado pela Comissão de Direitos Humanos do Brasil (Marco Feliciano e companhia)

Loading



Quando chamamos a atenção do perigo que é a união de política + fundamentos religiosos não é atoa... de autoria do deputado federal João Campos (PSDB-GO), o projeto de lei que prevê a “cura gay” teve, na semana passada, o texto aprovado pelo relator deputado Anderson Ferreira (PR-PE). O relator, que também é pastor, foi indicado para a função pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feliciano, em março.

Agora o texto já está pronto para ir a plenário. Se aprovada, a lei permitirá que psicólogos ofereçam terapia para homossexuais que queiram “deixar de ser gays”. O que foi proibido desde 1999 pelo Conselho Federal de Psicologia.

Campos, pastor da Assembleia de Deus, também é contra ao projeto que criminaliza a homofobia, contra a cirurgia de mudança de sexo oferecida pelo SUS, contra o aborto e desfavorável ao casamento de pessoas do mesmo sexo.

Abaixo, você pode ver um vídeo do antigo Furo MTV, com Dani Calabresa e Bento Ribeiro, de fevereiro de 2012, quando o projeto de “cura gay” começou a ganhar forma... 


Fonte: Blog Estadão 

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Ator Thiago Fragoso diz que família brasileira não quer ver beijo gay na TV

Loading



Em recente entrevista, ao site IG Gente, o ator Thiago Fragoso falou sobre seu papel na próxima novela da 21h - na qual viverá um casal gay, ao lado de Marcello Antony, que quer ter um filho – e sobre a sempre polêmica-canseira-mas-necessária sobre beijo gay na TV. Veja as declarações abaixo:

“Ainda não estou com o look do Nico (nome de seu personagem) e também não sei como será”

“É uma discussão muito propícia e muito fértil para o Brasil atualmente, fala sobre as novas famílias. Vai discutir um casal homossexual, que quer ter um filho. Então, eles vão misturar um material genético e fazer uma inseminação em uma barriga de aluguel”

“A princípio, não é a intenção. A gente quer discutir essa nova família brasileira, porque não acho que a família brasileira, conservadora na sua maioria, queira ver um beijo gay agora. Não sei se é o caso de a gente mostrar”

“É um beijo, só que com um homem. Como são com dois atores, vamos ter que nos preparar para isso, treinar para perder pudores, para não deixar questões pessoais influenciarem na cena. Então, se fosse o caso, eu acharia super legal, sim. Não teria nenhum problema com isso”.

Logo mais tem programa do Muza na rádio UFMG Educativa

Loading


People! Como sabem, o Muza está com um programa semanal na Rádio UFMG educativa: Momento Muza! Isso mesmo! A locução é do jornalista responsável pelo Muza, o Valmique. 

Logo mais, às 14h30, sintonize na frequência 104,5 FM ou acesse o site da rádio e como cantaria Madonna... Turn Up The Radio! ;)

Comentários, críticas e sugestões são super bem-vindos! Quer enviar sugestão de assunto ou música? Envie e-mail para contato@muza.com.br e coloque no assunto "rádio'. Ou simplesmente, deixe seu comentário abaixo!

Como podem ver na imagem acima,o programa vai ser quase um especial RuPaul, mas também falaremos de outros gays/homossexuais importantes, além de também coisas gays como a séria The New Normal! 

domingo, 28 de abril de 2013

ColunaZs - "Rucapitulando: Aquele que a gente pensou que era o fim" (episódio 12 do RuPauls Drag Race)

Loading



“this is the beggining for the rest of your life!”

Atenção: Este texto contém spoilers do décimo segundo episódio de RuPaul’s Drag Race, quinta temporada. A série é exibida no Brasil por alguns canais de TV a cabo, mas é possível encontrar links para ver por streaming internet afora. Há ótimas fan-pages no Facebook sobre o programa com dicas ótimas de onde ver! 

Anteriormente, em RuPaul’s Drag Race: as bonitas se jogaram nos doces para criar três looks incríveis trabalhados no açúcar. Alaska foi a que melhor incorporou o espírito candy shop e foi a vitoriosa. Depois de um lipsync histórico, Jinkx mandou Detox para casa.

No segundo rucap que fiz dessa temporada cantei a bola de que Alaska, Roxxxy e Detox estariam na final, e que Coco, Alyssa e Lineysha corriam por fora. Bom, tirando essa loucura que foi colocar a latina em um possível top 3, até que fui bem acertando duas bonitas da final. Jamais esperaria que Jinkx fosse render alguma coisa. Ela estava tão apagada nos primeiros episódios que eu jurei que ela fosse rodar cedo. A bonita, entretanto, se fez de morta muito bem para acordar (sem trocadilhos) na reta final e chegar lá como a favorita para esse título. 

O último episódio, entretanto, não foi um ato de salvação para essa temporada. Poderíamos ter visto algo bem mais interessante mas vimos apenas o fechamento dessa season bem meia boca. E, repito, muito culpa desse elenco capenga que foi escolhido. Tanto é que só agora a edição conseguiu transformar uma drag em vilã. O que, infelizmente, não ajudou muito, porque a Roxxxy acabou ficando muito mais com um ar de deboche do que de bitch.

O último desafio das temporadas, desde a primeira, é gravar o vídeo de um dos singles da RuPaul. Então as drags têm que bolar os looks, ensaiar a coreografia, criar o conceito de maquiagem e, algumas vezes, contracenar com RuPaul. Para essa temporada, a música escolhida foi The Beggining, e ninguém entendeu o motivo dessa escolha, já que esse single não é tão novidade assim. Coisas da RuPaul maluca. 

Só que, para esse desafio, além de gravar as partes de dança, as drags também teriam que gravar uma cena em um tribunal, com cada uma fazendo a acusada, a advogada de defesa e a promotora. Ou seja, teriam que criar as histórias das três personagens. E, por fim, no palco principal, teriam que se defender e justificar por quais motivos elas achavam que deveriam sair dali com a coroa. Tantos desafios para ver se de fato alguma delas se sobressaía. 

Para a parte do clipe, uma coreografa veio ensinar as bonitas a trabalhar com um pedaço de tecido e um ventilador. Ou seja, elas tinham que bater cabelo mesmo. Roxxxy parecia estar em casa, na frente do espelho, imitando a Beyonce, tamanha naturalidade em girar a peruca, quanto Alaska e Jinkx se esforçavam para não passar vergonha. 


Na segunda parte, o júri, as bonitas tinham que dar toda uma história e defender as personagens. Desafio perfeito para Jinkx, que tinha tudo na ponta da língua: quem era, de onde vinha, qual a motivação para determinada fala. Ter essa pegada cômica facilitou muito para ela. Alaska estava muito bem e Roxxxy passou um pouco de vergonha. De volta ao ateliê, a bonita ainda reclamou com as outras que levava drag muito a sério e que Jinkx e Alaska fizeram pouco caso do desafio. O que, obviamente, não passava de recalque porque ela conhece as limitação.


Aliás, nos bastidores, vimos um show de baixarias (adoro) de Roxxxy com Jinkx. Mas tudo foi explicado pela Alaska: Roxxxy vem do universo das drags que participam de concursos de beleza, como se fossem Miss Universo. E essa desestabilizada emocional é bem comum nos camarins desses eventos, cada uma tentando passar a perna na outra. Como ali vale tudo, Roxxxy jogava com as armas que tinha. 

Na passarela, as drags tiveram um tempo, depois de desfilar, para se defender. Roxxxy e Alaska vieram com looks incríveis, enquanto Jinkx estava igual a todos os dias. Quando começaram a falar, cada uma vendeu seu peixe, e Roxxxy ainda aproveitou para pedir desculpas para Jinkx, pelo que tinha dito antes. Claro, porque na frente da RuPaul é bem melhor pagar de boazinha, de justa, de correta. Porém, as duas não foram nem um pouco incríveis nos discursos. Se perderam, enrolaram e acabaram só dizendo os motivos pelos quais elas deveriam ficar. Acontece que a tarefa era, além disso, mostrar o que o outro não tinha e que faria falta para a ganhadora, quais eram os atributos essenciais que as demais não apresentavam. E, nesse ponto, Alaska foi a melhor. Parecia que ela estava fazendo o discurso de posse da presidência dos Estados Unidos, tamanho o empenho que ela colocou em cada palavra. 


Com as drags se destacando em cada uma das partes do desafio, RuPaul não teve escolha e colocou as três no lipsync. E cada uma fez da sua maneira. As três estavam ali se representando e, mais que isso, mostrando para a RuPaul que elas podem ser as embaixadoras do programa mundo afora, na turnê da Absolut, em campanhas de publicidade, em músicas que lançarem.

Quando a dublagem acabou e pensamos que finalmente veríamos a ganhadora, RuPaul anuncia que o nome da coroada será informado no próximo programa, que é quando todas as competidoras se reúnem para verem melhores momentos, lavar roupa suja, contar algum caso que ficou nos bastidores. O mesmo que aconteceu ano passado. 

Antes de terminar, contudo, RuPaul convocou o público para votar na drag favorita pelo Facebook, Twitter, Instagram, GetGlue, Pinterest, Tumblr e, se der bobeira, também pelo Grindr, Scruff, Manhunt e similares. Ninguém sabe até que ponto a RuPaul leva as votações em consideração, se é que leva. Mas isso ajuda a criar um barulho em torno da final e da ganhadora. 

E tentar prever quem vai ganhar esse programa é uma tarefa difícil. Jinkx é, pelo que vi, a favorita do público, e também é a drag cômica, a drag pastelão da vez, cota que ainda não foi preenchida. Roxxxy, apesar de ser colocada como vilã, jamais foi uma, e conta com um grupo bem grande de fãs. Pode ganhar pela cota das plus sizes e por ter uma descendência latina. E, por fim, tem Alaska, que também cairia na cota da comédia, porém acredito que ser namorada da campeã da temporada passada tire um pouco do mérito dela – apesar do Santino dizer que ela conseguiu se firmar por conta própria no programa. Se eu tivesse que apostar, nesse momento, colocaria meu dinheiro na Jinkx. Os prognósticos, para ela, estão bem mais favoráveis que para as outras drags, alem dela contar com o fator público. Vamos ver se RuPaul vai levar tanto em consideração a palavra final ser dela ou vai ouvir os telespectadores dessa vez. “And may the best woman wins!”

Texto de Flavimar Dïniz. Ele está na internet desde 1999, quando sofria com conexões discadas e downloads a 3.4 kbps. Começou no mundo dos blogs em 2002 e não entende como não ficou rico com internet igual a tantos outros de sua geração. Adora música, cinema, literatura e jornalismo, sua formação profissional. Escreve sobre o ele achar que dê um texto de mais de 140 caracteres. 

Veja fotos excluZivas do show "Vozes do Brasil" e do camarote friendly do Axé Brasil

Loading


Acabou a espera! Já disponibilizamos - na página oficial do Muza no Facebook - as fotos excluZivas feitas da galera e das performances no "Axé Brasil 2013 – camarote friendly UM Brasil" e do "show Vozes do Brasil", que reuniu alguns dos participantes da primeira edição do programa The Voice Brasil : Ludmillah Anjos, Lorena Lessa, Danilo Dyba, Gabriel Leva, Dani Morais e Maria Christina.

Clique aqui para ver as fotos do Axé Brasil 2013

Clique aqui para ver as fotos do show Vozes do Brazil.

Aguarde entrevista excluZiva com Ludmillah Anjos, Maria Cristina e Dani Morais!


sábado, 27 de abril de 2013

Conheça o vídeo sexy e divertido "Bubble" de Sebastian Castro

Loading


Uma boa dica para esse clima de balada e curtição do final de semana: um jovem asiático, pra lá de sexy, vem causando no youtube, desde fevereiro. Assumidamente gay, o cantor Sebastian Castro lançou a música “Bubble” - que é bem legal - com um clipe bem abusadinho.

Sobre o fato de ser gay, Castro já deu algumas declarações que conhece várias pessoas do showbiz que estão no armário e que o fato dele ser assumido os incomoda. “E eu não os culpo. E eu não tenho nenhuma intenção de tirá-los. Espero que as pessoas saibam disso. Para mim, tudo o que os torna felizes é bom. Eu sei o quão duro pode ser pra eles, especialmente nesta indústria”, afirmou.

No vídeo, Castro aparece só de cuequinha sensualizando ao som da música. Outros boys magias o acompanham na coreografia. Nas últimas imagens do clipe, Sebastian ainda arrisca um banho de cueca branca (cena do chuveiro aos 4'05).

O asiático hot ainda é novo no meio musical e há poucas informações sobre ele, provavelmente é da Filipinas e tem 20 e poucos anos, já que agradeceu por ter sido trend topic no país. Inclusive, o fato de ter um sobrenome nada asiático. Mas não vai demorar muito pra estourar de vez nas pistas: além da coreô, o vídeo já tem mais de meio milhão de views no youtube. Dê o play e se encante com o talento do boy magia asiático.


3 x Beyoncé: Grown Woman ao vivo + trecho de nova música + novo tourbook

Loading


Enquanto não são divulgadas mais informações sobre o show da Beyoncé em BH e a própria Queen B não divulga o novo disco vamos aproveitando cada novidade da Mrs. Carter ;)

Depois de muita expectativa, finalmente Beyoncé apresentou a nova música “Grown Woman”, completa, durante o show em Paris (24/04), a primeira performance de uma música inédita da era Mrs. Carter: Grow Woman. Com batidas e figurino africano, Beyoncé dançou em meio a dançarinos vestidos com roupas coloridas e muita, muita cor no palco. A Diva chegou a vendar os olhos e se arriscar dançando.


Foi divulgado o vídeo do novo comercial da Beyoncé para a rede de fast-fashion sueca H&M. Filmado nas Bahamas, a produção tem trechos de uma nova faixa da cantora intitulada ''Standing On The Sun'', que ao que tudo indica estará no 5° disco de estúdio dela que será lançado ainda este ano.

A ideia por trás da ação promocional é mostrar a ''R&B Diva'' como a “Mrs. Carter de H&M” e exibirá a variedade de coisas que uma mulher pode ser: forte, vulnerável, sensual, maternal, engraçada e sensual. Alguém também sentiu uma vibe "Baby Boy" no vídeo? ;) 


Por fim, com o início da nova turnê já começou a ser vendido o tourbook da The Mrs.Carter Show. No vídeo abaixo, você pode ver as imagens que traz trabalhos de Julien Macdonald, Amato Couture, Kenzo e Roberto Cavalli, Ddquared2 designers Dean and Dan Caten and Ralph and Russo. Aperte o play também! ;) 


Com a colaboação de Marcos de Castro

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Laerte Coutinho e Jean Wyllys se beijam em ato Fora Feliciano

Loading


Mais uma vez a demonstração de carinho é utilizada como forma de protesto. O beijo acima, entre o cartunista e transdresse Laerte Coutinho e o deputador Jean Wylllys (PSOL-RJ), aconteceu durante um ato contra a permanência do deputado pastor Marco Feliciano (PSC-SP) na Praça Roosevelt, no Centro de São Paulo na noite de ontem.

Eles participaram de uma plenária intitulada "Comissão Extraordinária de Direitos Humanos e Minorias" organizada pela ONG Conectadas e pelos coletivos Existe Amor em SP e “Pedra no Sapato”.

A diretora executiva da ONG Conectas, Lúcia Neder, o movimento não foi apenas um "Fora Feliciano", mas uma discussão sobre direitos humanos. As pessoas presentes participaram fazendo declarações a favor da união entre pessoas do mesmo sexo, igualdade racial, dentre outras.



Com informações e imagens do portal G1

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Veja fotos excluZivas do camarote gay friendly do último Axé Brasil, com mensagens para Daniela Mercury e Marco Feliciano

Loading


Como sabem, na última edição do Axé Brasil 2013 houve pela primeira vez um Camarote Friendly, realização da UM Brasil. O Muza esteve presente no Camarote UM Brasil e fez uma cobertura fotográfica excluZIva: levamos mensagens para Daniela Mercury e ao deputado pastor Marco Feliciano para que o público presente pudesse mandar o seu recado! ;)

Você pode ver todas as fotos na página oficial do Muza no Facebook.

Aguarde que ainda há mais fotos para serem divulgadas e um vídeo especialíssimo também!

EM TEMPO: aguarde também as fotos do show Vozes do Brasil!

quarta-feira, 24 de abril de 2013

SUS vai reduzir idade mínima para cirurgia de mudança de sexo + conheça primeira transexual de uma HQ

Loading


Ainda nesta semana, o Ministério da Saúde vai publicar a portaria que diminui a idade mínima para a cirurgia de troca de sexo na rede públicaAssim aos 16 anos um transexual poderá iniciar o tratamento hormonal e psicológico para mudar de sexo já aos 18 anos - antes aos 21. 

A portaria também vai incluir o pagamento de cirurgias para a retirada de mamas, útero e ovários, além da terapia hormonal para crescimento do clitóris. Só não será pago a neofaloplastia, cirurgia para construção do pênis. Este procedimento não foi contemplado porque, segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), trata-se de uma técnica em fase de experimentação.

O Brasil é um dos poucos países que oferece na rede pública de saúde a cirurgia para mudanças de sexo e há quatro hospitais no país que realizam tal procedimento. Estima-se que há na fila de espera 100 pacientes por ano aguardando a cirurgia. 

EM TEMPO: por falar em trans, a DC Comics apresentará em breve sua primeira personagem transexual. Na 19ª edição da HQ da Batgirl, Alysia Yeoh, amiga da protagonista, fará a revelação de que mudou de sexo. A imagem acima e abaixo mostra imagens de Alysia (cabelo preto) revelando para a batgirl (cabelo vermelho) que é transexual. 

Com informações do Estadão e Uol Entretenimento.

Saiba quem são os 50 gays mais importantes, segundo a revista “Out”

Loading


Já está nas bancas norte-americanas a edição 2013 da “Out” com a lista das 50 personalidades gays mais influentes do mundo. O primeiro lugar foi novamente ocupado pelo CEO da Apple, Tim Cook. Logo atrás vem a apresentadora Ellen Degeneres e Ryan Murphy, criador de Glee e outras séries de sucesso.

Nas posições seguintes, aparecem alguns jornalistas, como é o caso da principal âncora do MSNBC, Rachel Maddow, a quarta colocada, e o quinto lugar foi ocupado por Anderson Cooper, o âncora da CNN, que neste ano apresentou o GLAAD Awards, considerado o Oscar gay.

Tammy Baldwin, primeira mulher assumidamente homossexual a conquistar uma vaga no senado norte-americano, em 2012, ficou na nona posição. Em décimo lugar, aparece o rapper Frank Ocean.

Confira outros nomes: o ator Neil Patrick Harris, 13º lugar, o estilista Marc Jacobs, 19º, o designer Tom Ford, 31º, o diretor de cinema Bryan Singer, 34º, a atriz Jane Lynch, 40º, o roteirista Dustin Lance Black, 43º, o blogueiro de celebridades Perez Hilton, 49º, e a drag queen RuPaul Charles, 50º.

Clique aqui para ver a lista completa.

Debate sobre "3ª Idade LGBT" acontece amanhã, em BH, com presença de Luiz Mott

Loading


Amanhã, 25 de abril, acontece em Belo Horizonte o I Ciclo de Debates 3ª Idade LGBT, promovido pela Secretaria Municipal Adjunta de Direitos de Cidadania, por meio do Centro de Referência LGBT em parceria com o Libertos Comunicação.

O evento tem como objetivo sensibilizar instituições que trabalham com o público LGBT no sentido de possibilitar intervenções no que tange ao envelhecimento desta população.  Através do diagnóstico das demandas, conceitos e de direitos do segmento, a finalidade será gerar subsídios para fomentar projetos que abarquem ações eficientes para a garantia de cidadania plena aos LGBT na 3ª idade em Belo Horizonte.

O Ciclo de debates terá como convidado especial o antropólogo Luiz Mott, decano do Movimento Homossexual Brasileiro e fundador do Grupo Gay da Bahia e do Centro Baiano Anti-Aids. Na palestra, abordará os direitos dos cidadãos LGBT na 3ª idade, a invisibilidade e carência de políticas públicas em geral, bem como a realidade enfrentada por este público em diferentes âmbitos da sociedade. 

Serviço
I Ciclo de Debates 3ª Idade LGBT
Data: 25 de abril (quinta-feira)
Local/endereço: auditório da Secretaria Municipal de Políticas Sociais (Rua Espírito Santo, 505, 18º andar, Centro – Belo Horizonte).
Horário: 17 às 20h

terça-feira, 23 de abril de 2013

ColunaZs - “Funk, com F de Feminismo”

Loading


Nos últimos dias a dissertação de mestrado “My pussy é poder – A representação feminina através do funk no Rio de Janeiro: Identidade, feminismo e indústria cultural.”, bem como sua autora, ganharam espaço na internet e na mídia.

Com direito a crítica de Rachel Sheherazade, que por sua vez recebeu réplica de Mariana Gomes Caetano (autora da dissertação). Ainda não li o trabalho, mas lerei. E então expressarei minha opinião a respeito da dissertação. 

O que me interessa mais é a discussão levantada. Afinal, que feminismo é esse das funkeiras? É feminismo? Funk é cultura? 

Se me perguntassem 3 anos atrás, responderia, a todas as perguntas, com um categórico não. Mas nos últimos anos repensei muitos conceitos. Confesso que possuía uma visão completamente elitizada de cultura. E acredito que esse seja o primeiro preconceito a ser quebrado para começar a entender a questão. Cultura não é apenas aquele quadro lindo no museu, a ópera, a peça de teatro, o filme cult, a bossa nova. Cultura vai muito além. Inclui os costumes, crenças, ações, arte, todos os hábitos dentro de uma sociedade. Sociedade, por sua vez, não é apenas o estado, o país. Sociedade pode ser um grupo de amigos, uma família, um bairro, uma região. Qualquer grupo de pessoas. E este grupo de pessoas possuí cultura própria, compartilha cultura com outros grupos. A cultura não é algo estático, presa dentro de um domo de vidro. 

Se cultura é algo tão maleável e mutante, porque não seria o funk cultura? É uma expressão de uma comunidade, e uma expressão forte. Apesar de muitos se recusarem a reconhecer, é uma expressão rica. Pode não ter, ou aparentar, o mesmo cuidado musical da bossa nova, da mpb, mas isso não faz do funk menos importante. Os discursos ali inseridos são passíveis de discussão, da mesma maneira que vários discursos da mpb, bossa nova, também são.


É justamente neste ponto que entram Valesca, Tati Quebra Barraco e outras funkeiras. Os funks surgiram cantados por homens, geralmente com uma perspectiva machista. Elas entram no cenário funk para dar poder as mulheres. Elas não estão apenas controlando o que era um domínio masculino, mas se colocam claramente nessa posição. 

Não dá para pensar no feminismo das funkeiras com os mesmos padrões – que nem deveriam existir – que utilizamos em outros meios. Todo contexto é diferente. As cantoras de funk entram em um mundo onde as pessoas estão acostumados a ver mulheres como objetos, dançarinas dos funkeiros que falam de seus corpos-objetos. Valesca canta “Eu dô pra quem quiser. Que a porra da buceta é minha.”. Para muitos é uma desvalorização da mulher, mas é um grito de liberdade. Ela é dona do próprio corpo, decide quando e com quem fará sexo. A forma com que ela dá esse grito pode parecer degradante para muitos, mas é esse grito “escrachado” que deixa clara a mensagem, é um grito bem inserido no mercado da música funk. É um grito adequado ao público. É um grito adequado a toda a sociedade brasileira, pois em todos os meios tem gente precisando escutar a mensagem de forma bem clara. E é assim que elas entram a mensagem, na lata, sem rodeos, sem mimimi, simples. “Meu corpo, minhas regras”.

Imagine a diferença, que essa apropriação do corpo, não faz para as mulheres que frequentam os bailes funks, que estão acostumadas com a ideia de mulher objeto. Que aquelas palavras que muitos de vulgares, depreciativas, na verdade entregam o poder para mulher. O feminismo da Valesca, dentro do contexto em que está inserido, é extremamente efetivo. É imperfeito? É, obviamente, mas qual discurso feminista não é? Qual discurso militante não é? É impossível abranger todos os universos, é impossível abranger um por completo. 

São essas funkeiras feministas? Sim, mais do que imaginamos. 

O medo das coisas faladas “a lá funk” é outro empecilho para o reconhecimento de sua importância. Nós, brasileiros, produtores do funk, somos seus maiores críticos. O ritmo fez parte do encerramento da olimpíadas de Londres, é uma das influências do próximo disco de Paul McCartney, é utilizado como referência por inúmeros artistas renomados no exterior. Aqui é tido como ritmo marginal, submúsica. Como algo que só deveria tocar nas favelas, onde surgiu, sem se misturar com o resto da população. 

 “É som de preto. De favelado. Mas quando toca ninguém fica parado.”


*Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado. The bitch says: follow my ass! 


Mesmo sob protestos, França é o 14º país a legalizar casamento gay

Loading


Vocês devem lembrar daquelas imagens assustadoras de milhares de pessoas indo às ruas de Paris protestarem contra a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo no país... mas, felizmente, o conservadorismo e preconceito de muitos não impediu que a real democracia cidadã prevalecesse.  

Hoje, por 331 a favor e 225 contra, os legisladores na Câmara dos Deputados da Assembleia Nacional aprovaram a lei que tornou a França o 14º país a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. 

Nos últimos dias, opositores atacaram bares GLS, ferindo alguns clientes, e o presidente da Assembleia Nacional Francesa chegou a receber uma carta de ameça sobre as “consequências” de tal votação. 

Os casamentos homossexuais poderão ser realizados na França a partir de junho.

Abaixo, uma relação feita pelo site G1 sobre os 14 países que legalizaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo e o respectivo ano de tal aprovação:

1. Holanda (2001)
2. Bélgica (2003)
3. Espanha (2005)
4. Canadá (2005)
5. África do Sul (2006)
6. Noruega (2009)
7. Suécia (2009)
8. Portugal (2010)
9. Islândia (2010)
10. Argentina (2010)
11. Dinamarca (2012)
12. Uruguai (2013)
13. Nova Zelândia (2013)
14. França (2013)

Com informações de G1 e Estadão

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Wanessa trará para BH sua DNA Tour em maio! Saiba todas as informações.

Loading


Atenção fãs de Wanessa e da cena pop brasileira: a cantora traz para BH, no dia 17 de maio, sua "DNA Tour". Essa é a turnê que ela comentou em entrevista excluZiva ao Muza que estava elaborando e que gerou a gravação do DVD, aliás, a imagem acima é a capa do DVD. 

“Então, no ano que vem (2013), meu projeto é pegar a turnê que vai ser gravada do DVD e fazer shows maiores também... Mas ano que vem é tentar viabilizar, o máximo possível, um grande show com grande produção em casa que comporte isso... éfocado no geral da minha carreira. Então, você tem um momento mais tranquilo, mais light, você interpreta um pouco mais, tem o cenário pra te ajudar, um corpo de baile maior, banda ao vivo, é uma diferença tremenda”. 

A abertura o show da Wanessa terá os DJs Caio Vita, Mitre e Babi, além da cantora Dani Morais. 

Os ingressos já estão disponíveis pela internet(www.ticketsforfun.com.br), pelo telefone 4003-5588, nos pontos de venda distribuídos pelo Brasil e na bilheteria do Chevrolet Hall.

Os valores divulgados são:
BACKSTAGE UM BRASIL – OPEN BAR – 1º LOTE: R$ 80,00
BACKSTAGE UM BRASIL – OPEN BAR – 2º LOTE: R$ 90,00
BACKSTAGE UM BRASIL – OPEN BAR – 3º LOTE: R$100,00
PISTA / ARQUIBANCADA – 1º LOTE: R$ 50,00(inteira) R$ 25,00(meia)
PISTA / ARQUIBANCADA – 2º LOTE: R$ 60,00(inteira) R$ 30,00(meia)
PISTA / ARQUIBANCADA – 3º LOTE: R$ 70,00 (inteira)R$ 40,00

O Backstage Um Brasil equivale ao Setor Premium: local mais próximo do palco, além de incluir open-bar de cerveja, água, refri, vodka e suco. Veja imagem abaixo:



O CD/DVD será lançado na próxima semana, 30 de abril, mas Wanessa já liberou um teaser "Blind Faith" que você pode ver abaixo, além de ter divulgado o vídeo-clipe da música "Shine It On" extraída do DVD, que o Muza já divulgou.

Continuem ligados no Muza porque haverá sorteio de Backstage Um Brasil!



Sábado acontece a festa Yolo da @bsurda com show de Banda Uó e Bonde do Rolê, o Muza sorteia corteZia!

Loading


No próximo sábado, 27 de abril, acontece mais uma super festa da @bsurda no Mercado das Borboletas, em BH. Depois da PostiT, que levou 2 mil pessoas em uma edição histórica, YOLO será o tema dessa edição que terá como atrações principais a Banda UÓ e o Bonde do Rolê! Isso mesmo! Uhu!

Alem dessas duas super atrações haverá no line up, os DJs: Poli Tafarelo (debut), Crew @bsurda, ed., FAB. e Keoma (b-day set)

Os valores da entrada são: $25 (para quem tem @bsurda Card) e $40 (3º lote até 26/04), na porta sob consulta. 

Informações importantes: haverá estacionamento no local (pago a parte) e será aceitos cartões de crédito e débito (para compra de bebidas)

O Mercado das Borboletas, para quem não sabe, fica na avenida Olegário Maciel, 742, Centro.

A produção geral da festa Yolo é da @bsurda e co-produção do Mercado das Borboletas e Dani Lages. 

Quer ganhar uma corteZia para a festa Yolo com shows da Banda Uó e Bonde do Rolê?

O Muza sorteia uma corteZa para ver a festa, que acontece no próximo sábado. Isso mesmo! Como você pode garantir a sua? Simples! Basta seguir os passos abaixo:


2- Entre na aba “promoções”, clique eparticipe

3- COMPARTILHE PUBLICAMENTE a imagem da festa que está lá.

O resultado será divulgado na quinta-feira, 25 de abril. Quem ganhar, tem que enviar o nome completo + número identidade o quanto antes, porque o ganhador (a) terá que buscar sua cortesia no Café Com Letras somente na sexta-feira, 26 de abril... fiquem ligados no horário para garantir sua corteZia!

Ganhadora promoção festa Yolo @bsurda com show Banda UÓ e Bonde do Rolê: Sylvia Amaral. Nome completo + número identidade para contato@muza.com.br até às 12h de amanhã, sexta-feira, 26 de abril. Parabéns! :) 



People! Gostaria de esclarecer que a ferramenta “Sortei Me”- utilizada pelo Muza em suas promoções - está, constantemente, dando problemas no momento de gerar o resultado. Desta forma, caso haja algum problema na hora de gerar o resultado dessa promoção, será tomada a seguinte medida: será utlizado o “random” para gerar um sorteio. Neste caso, será colocado os nomes dos participantes de acordo com a ordem de sua adesão à promoção. Entretanto, obviamente, o participante tem que curtir a página do Muza nas redes sociais específicas e seguir todos os passos necessários. Ressaltamos ainda, que o Muza irá buscar uma nova ferramenta para fazer com que as promoções sejam mais efetivas. Contamos com a compreensão de todos. Boa sorte a todos!

Veja alguns looks de fashionistas que estiveram no Minas Trend Preview

Loading







































Como sabem, na primeira quinzena de abril a capital mineira respirou um ar super fashion com a 12ª edição do Minas Trend Preview - um dos eventos de moda mais importante do estado de Minas Gerais, agitou os corredores do Expominas. E se o assunto é badalação, gente descolada e moda, o Muza não poderia ficar de fora! Há! ;) 

Como vocês aqui do Muza também sabem, durante o evento celebridades como o estilista Alexandre Herchcovitch aproveitaram para protestar contra a permanência do deputado pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. 

Desfilando pelos stands da feira de negócios, criada para fomentar as vendas e projetar a indústria de moda mineira para o Brasil e o mundo, registramos os look´s dos fashionistas que passaram pelo MTP. Dentre eles encontramos algumas figuras de destaque na moda mineira como as escritoras e cronistas de moda, Cris Guerra e Lilian Pacce, além de Nathália Dornellas, editora do caderno Pandora, do jornal "O Tempo", e responsável pelo site querido, parceiro e moderno que leva seu nome.

Outra personalidade que arrasa não só no visual mas, também na crítica de moda, é o jornalista e analista de mídia social, Augusto Paz. Apaixonado por BH, o paulistano, de Santo André, disse gostar muito do Minas Trend por ser uma semana de moda única, que mostra ao país toda a inventividade do estilista mineiro. “É um evento que traduz muito bem a maneira de vestir no mineiro, que é muito singular. As coleções são muito ricas e criativas”, destacou.






Hoje é dia de programa do Muza na rádio UFMG Educativa!

Loading


People! Como sabem, o Muza está com um programa semanal na Rádio UFMG educativa: Momento Muza! Isso mesmo! A locução é do jornalista responsável pelo Muza, o Valmique. 

Logo mais, às 14h30, sintonize na frequência 104,5 FM ou acesse o site da rádio e como cantaria Madonna... Turn Up The Radio! ;)

Comentários, críticas e sugestões são super bem-vindos! Quer enviar sugestão de assunto ou música? Envie e-mail para contato@muza.com.br e coloque no assunto "rádio'. Ou simplesmente, deixe seu comentário abaixo!

Como podem ver na imagem acima, falaremos sobre vários assuntos que foram notícias no Muza na última semana: im-per-dí-vel! 

domingo, 21 de abril de 2013

Agora sim, confirmado: Show da Beyoncé em BH, no Mineirão.

Loading


Agora sim já podemos celebrar! Confirmado o show da Beyoncé em Belo Horizonte, no dia 11 de setembro, no Mineirão. Ainda não há informações detalhadas sobre a venda e os valores dos ingressos, mas em maio começarão ser vendidos.

A confirmação foi feita em entrevista ao jornal O Tempo, parceiro do Muza, com o empresário Aluizer Malab, da produtora Malab, que também trouxe a BH o show de Elton John. Ele declarou:

"A apresentação foi concretizada por conta de nossos contatos com a Artplan (organizadora do Rock In Rio). Toda a parte burocrática ficou por conta deles. E ainda teremos o privilégio de ter a prévia desse grande show no Brasil... é um espetáculo que todos vão querer assistir porque ela vem a Belo Horizonte no auge"

Who Run The World? All The Single Ladies! ;) 

Clique aqui para saber como foi o primeiro show da The Mrs.Carter Show, o show que você verá em BH! ;)


Rucapitulando: Aquele da glicose lá em cima (episódio 11 do RuPauls Drag Race)

Loading


“all I need is room to show you what I’m living for!”

Atenção: Este texto contém spoilers do décimo primeiro episódio de RuPaul’s Drag Race, quinta temporada. A série é exibida no Brasil por alguns canais de TV a cabo, mas é possível encontrar links para ver por streaming internet afora. Há ótimas fan-pages no Facebook sobre o programa com dicas ótimas de onde ver! 

Anteriormente, em RuPaul’s Drag Race: as drags transformaram veteranos do exército, marinha e aeronáutica em drags sisters. Maquiagem, perucas, looks, tudo para ficarem incrivelmente parecidas. Coco e Detox não foram lá tão boas e tiveram que dublar para se salvarem. Depois de quatro lipsyncs, Coco rabiscou uma mensagem no espelho, empacotou as coisas e foi embora. 

Penúltimo episódio antes da grande final e eu nunca pensei que fosse dizer isso, mas ainda bem que está acabando. Jamais tivemos uma temporada tão arrastada, com drags tão choronas em toda a história desse programa. Todo dia é um mimimi, alguém que conta algum drama pessoal, mães drogadas, abandono, namorados que se matam. Era para ser RuPaul’s Drag Race, mas essa temporada parece mais o programa da Oprah. 

Tem também o fato de que a própria RuPaul não tem ajudado muito. Se antes os desafios eram inovadores e nos faziam ficar pulando na cadeira, essa temporada tem sido bem qualquer coisa. E isso ficou super claro nesse episódio. Parece que a produção viu que essa delícia não renderia tanto e começou a reutilizar algumas provas anteriores. Claro que manter o nível de criatividade depois de cinco temporadas é bem difícil, mas se querem copiar alguma coisa, que copiem da primeira temporada, que é obscura e muita gente não viu. 

Na volta ao ateliê rolou aquela tensão básica entre Rulaskatox e Jinkx. E fico me perguntando se a bonita da drag dorminhoca ainda não percebeu que ela é favorita ao prêmio. Porque todo dia ela reclama que está sendo deixada para trás, que ninguém liga para ela, que ela vem sofrendo dragbullying das colegas. Com cem mil dólares quase já na minha conta eu jamais ligaria para o que as recalcadas andam falando. Outro ponto tenso no episódio foi que a edição tentou transformar a Roxxxy em vilã de qualquer jeito. Todos os comentários dela que apareciam em off falavam mal de alguém, especialmente da Jinkx. O problema de colocá-la nessa posição é que ela jamais será uma vilã como Raven, da segunda temporada, os as Heathers, da terceira. Nem mesmo como a PhiPhi, uma vilã questionável da quarta. Mas é como eu disse antes, a edição precisa de uma vilã para contrabalancear, especialmente com a pegada mais cômica da Jinkx. Uma pena que o tiro saiu pela culatra e, além do mais, veio incrivelmente tarde. 

Corte rápido para o dia seguinte, com RuPaul aparecendo para falar dos desafios. O primeiro desafio do dia era fazer uma interpretação de uma das drags com marionetes. A mesmíssima prova que o top 4 fez na temporada passada, sem tirar nem por. Alaska falou de Roxxxy, que falou de Jinkx, que falou de Detox, que falou de Alaska. E, claro, rolou toda uma chuva de gongação por parte delas. Alaska foi a vencedora e ganhou um bônus para o desafio da semana, que consistia em fazer três looks diferentes inspirados em doces: um com pegada adolescente; outro de executiva; e um de alta costura enlouquecida de açúcar. E aqui abro dois parênteses: primeiro que esse desafio de fazer roupas de doces é mais velho que tudo. Inclusive rolou um parecidíssimo na quarta temporada de Project Runway, quando os estilistas fizeram roupas com produtos da Hershey’s (e a RuPaul nem para colocar uma marca lá e ganhar uma grana). E segundo que, como disse um amigo meu, já deu essa história de fazer looks adolescente-executivo-alta costura. A RuPaul, truqueira que só, apenas muda o nome, mas no fim é sempre a mesma coisa. Por ter ganhado a prova das marionetes, Alaska teve quinze segundo de vantagem para pegar os doces. Mas nem rolou brigas, cotoveladas nem nada disso. Saudade de Tyra Sanchez empurrando todas as drags na segunda temporada.  

Depois disso as bonitas foram trabalhar e o ateliê virou um mar de açúcar. Todas concentradíssimas, tirando da cartola as ideias mais absurdas. E foi um tal de colar pirulito aqui, quebrar balas ali, aloprar no algodão-doce... RuPaul fez uma visitinha no meio do processo, deu uma gongada básica em cada uma delas, o que fez com que alguns desenhos fossem repensados. Mas antes de ir embora, a bonita anuncia uma pequena adição ao desafio: as drags teriam que criar um número bem doce para uma música que dublariam coletivamente. Alaska ficou responsável pela coreografia porque ganhou o mini-desafio e todas as outras drags amaldiçoaram isso porque elas sabem que a bonita dança como se fosse um zumbi. E isso apareceu no ensaio, que foi um desastre. Mas é aquele velho truque da edição mostrar só os erros para depois ter o choque da apresentação dando certo. E foi o que aconteceu. A apresentação foi bem divertida, as drags estavam engraçadas, apesar dos jurados terem falado que foi bem plana, bem simples. 


Os looks foram bem altos e baixos. Alaska e Roxxxy foram incríveis nos três, apesar de Roxxxy ter mostrado um look teen meio piriguete, enquanto Jinkx e Detox foram duramente questionadas pelo júri. Jinkx perdeu totalmente o rumo do desafio, criando looks bem datados e fora do contexto. Já Detox não fez nenhuma referência aos doces no look de alta costura, e isso também foi alvo de várias críticas. 



Alaska foi a vencedora, Roxxxy foi salva e Jinkx e Detox foram para o lipsync. Pela temática do desafio eu pensei que a música que elas dublariam seria Candyman, da Christina Aguilera, ou até mesmo Candy Shop, da Madonna. Mas eis que começa a canção e me surge uma música meio cabaré, meio teatro de revista, totalmente vintage. Ou seja, a música perfeita para Jinkx, e toda a teatralidade, toda a pegada camp, dublar. Ela colocou Detox no bolso e fez um número que não só a salvou como a colocou em uma posição privilegiadíssima de forte candidata ao prêmio máximo, porque finalmente vimos o potencial que ela tem no lipsync. Bem como eu disse na semana passada, se ela ficasse seria ocupando o lugar da Detox. 


As três drags restantes ganharam dois desafios cada e apenas Alaska não precisou dublar para se salvar. Geralmente, no último episódio, o desafio é participar de um clipe com a RuPaul, então as drags são avaliadas nos quesitos coreografia, looks, presença no vídeo, entre outros, além de serem avaliadas pelo conjunto da obra do decorrer da temporada. Cada uma delas tem um ponto forte, e o que vai definir a ganhadora é, de fato, como elas vão conseguirão trabalhar os outros pontos que elas não têm tanta facilidade. Eu vejo Jinkx com uma leve vantagem, pelas cotas e pelo ineditismo de ter uma drag comediante como ganhadora. A imagem da Roxxxy não é uma coisa tão inédita no mundo drag, e talvez já esteja cansada. Já Alaska é namorada da campeã da edição passada. Querendo ou não, isso tira um pouco do brilho que ela possui. O final está ali na outra esquina, e as três têm chances de afanar essa coroa. Resta saber quem brilhará mais no fim das contas. 

Texto de Flavimar Dïniz. Ele está na internet desde 1999, quando sofria com conexões discadas e downloads a 3.4 kbps. Começou no mundo dos blogs em 2002 e não entende como não ficou rico com internet igual a tantos outros de sua geração. Adora música, cinema, literatura e jornalismo, sua formação profissional. Escreve sobre o ele achar que dê um texto de mais de 140 caracteres.