segunda-feira, 4 de março de 2013

Pais reclamam de escola que não deixa o filho usar o banheiro feminino

Loading

Coy (esq.) com seu irmão Max

Menino de 6 anos que se vê como menina foi proibido de usar o banheiro feminino da escola onde estuda e, por isso, os pais do garoto se queixaram da escola na agência de direitos civis.

De acordo com os pais de Coy Mathis, ele foi diagnosticado com desordem de identidade de gênero e desde os 18 meses de idade se comporta como menina. A mãe relata que, aos 4 anos, o menino disse que havia algo de errado com o seu corpo.

Quando entrou para a Escola Eagle, em Foutain, Colorado, EUA, Coy se apresentou como menina. Os professores e amiguinhos sempre o trataram como menina. Porém, em dezembro, a escola informou aos pais dele que a criança não poderia mais utilizar o banheiro feminino, apenas o masculino ou da enfermaria.

"Nós queremos que Coy tenha as mesmas oportunidades educacionais que tem qualquer outra criança no estado do Colorado", disse Kathryn em entrevista à ABC News. Além de Coy e Max, o casal tem outras três filhas.