domingo, 31 de março de 2013

Joelma “explica melhor” suas declarações contra os homossexuais. Mas já diz o ditado, quanto mais mexe...

Loading

A cantora do Calypso, Joelma, após ter feito infelizes declarações contra os homossexuais  - nas quais foi possível perceber um mix de religião, alienação e preconceito- foi procurada pelo site Ego para “esclarecer” tais declarações. Mas sabe aquela história de quanto mais mexe... então: foi exatamente isso, infelizmente. Abaixo, as declarações dela ao site: 

"Estou decidida a entrar com um processo contra a revista se não colocarem como eu falei. Falei que sou contra o casamento gay, mas meus melhores amigos são gays. Meu maior confidente é gay".

"O que eu contei é que meus fãs gays dizem para mim que é uma luta diária. Um deles me deu um exemplo dizendo que foi muito difícil, mas que ele conseguiu sair dessa luta, que é como se livrar das drogas. Eu nunca diria que os gays são iguais aos drogados".

"Sou contra porque minha religião não permite. Por isso eu não quero que meu filho seja gay”

"Não posso julgar ou criticar porque a vida é de cada um. Mas sou contra o casamento gay. Seria o mesmo que eu concordasse que meu filho gay se casasse. Uma mãe quando sonha coisas para o filho só sonha coisas boas".

"Quando a gente não pode, Deus pode. Quando a gente não consegue Deus consegue. Fui curada de um câncer na garganta. Depois, ainda tive uma queda que fraturei a coluna e deveria ter ficado na cadeira de rodas, mas uma oração me curou".

"Teve um que contou chorando que a mãe o colocou para fora de casa. Acompanho esse sofrimento. A gente não deve julgar. Não quero ofender ninguém. Mas se acontecesse perto de mim, nunca colocaria para fora de casa ou trataria como se não fosse família. Tem que lutar junto, estender a mão"

"Se eu fosse homofóbica, não teria amizade com gay. O que eles fazem é problema deles, não tenho nada com isso. Não fiz nada para agredi-los e não tenho esse direito" 

"Uma mãe jamais vai aceitar um filho ladrão ou drogado, mas jamais vai deixar de amá-lo por causa disso. Ela vai querer fazer de tudo para que ele dê certo. Se eu vejo que tem saída... Conviver com o erro da pessoa é uma coisa, mas incentivar o erro é errado. Você tem que aceitar, amar, tratar bem, mas não dizer para a pessoa fazer".

Para finalizar, Joelma disse ao site que aprendeu muitas coisas com os homossexuais: como fazer o cabelo e se maquiar. Pelo menos pra isso os pecadores servem né? Af!

Não é demais lembrar que em agosto do ano passado, vazou um vídeo no qual Joelma dizia para um fã gay que ele deveria se converter, virar homem e, com isso, iria agradar e orgulhar seus pais e papai do céu. Clique aqui para rever.

Amanhã, convido vocês a ouvirem o programa do Muza na Rádio UFMG Educativa (104,5 Fm), às 14h30, no qual farei uma crítica reflexiva sobre as declarações de Joelma.