quarta-feira, 6 de março de 2013

Deputado e pastor, acusado de homofobia e racismo, pode presidir Comissão de Direitos Humanos no Brasil

Loading


Uma pá de cal está prestes a ser jogada nos Direitos Humanos no Brasil, em especial, na conquista aos direitos LGBT. O preconceituoso deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) poderá assumir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara. 

Um acordo entre lideranças definiu que a presidência da Comissão será entregue ao Partido Social Cristão e não mais ao PT, como é de costume. Na última quarta-feira, o deputado declarou ao Estadão que seu nome seria o escolhido.

Polêmicas e preconceito

Detalhe: Em 2011, ele causou polêmica ao publicar no Twitter que o amor entre homossexuais leva “ao ódio, ao crime e à rejeição”. Escreveu também que descendentes de africanos são “amaldiçoados”.

A hipótese de Feliciano assumir a Comissão causou repulsa nos deputados federais Jean Wyllys (PSol-SP) e Erika Kokay (PT-SP). “Ele é confessadamente homofóbico e fez declarações racistas sobre os africanos”, disse Wyllys, afirmando que dar o órgão ao pastor seria assustador. Para Kokay, a postura de Marco Feliciano vai de encontro aos “princípios básicos dos direitos humanos”.

Feliciano se defende, dizendo que sua religião o ratifica a fazer um bom trabalho na Comissão. “Se tem alguém que entende o que é direito das minorias e que já sofreu na pele o preconceito e a perseguição é o PSC, o cristianismo foi a religião que mais sofreu até hoje na Terra” afirmou.

Primeira votação teve protestos e foi cancelada

Hoje, quarta-feira, foi realizada a votação para eleição do novo presidente da Comissão de Direitos Humanos na Câmara, mas foi cancelada. O motivo? Protestos e discursos contra a indicação do deputado Pastor Marco Feliciano.  Segundo informações do G1 a sessão teve início em meio a palavras de ordem gritadas por manifestantes que ocuparam o plenário da comissão. Diante do impasse, o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), convocou uma nova sessão para esta quinta-feira (7), na tentativa de concluir a escolha do presidente do colegiado.

EM TEMPO 1: A ONG All Out realiza um abaixo-assinado online contra a possível escolha e eleição do deputado pastor Marco Feliciano para presidente da Comissão de Direitos Humanos na Câmara. Clique aqui e participe

EM TEMPO 2: O pastor e deputado federal é autor do Projeto de Lei “Papai do Céu na Escola”, que pretende desconhecer a união entre pessoas do mesmo sexo como uma entidade familiar, reconhecida pelo STF em 2011.