quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Miguel Falabella fala sobre criar personagens LGBT e vida pessoal

Loading
O criador Miguel Falabella... 


Em recente entrevista à Folha de São Paulo, mais precisamente para o caderno Serafina, Miguel Falabella declarou que o fato de suas criações para TV, como a série Pé Na Cova, ou para o teatro ter personagens LGBTs é uma forma de ser solidário à causa:

“É a minha maneira de fazer ativismo. Não preciso sair sacudindo bandeira na Parada Gay. Há outras maneiras de dizer às pessoas que isso tudo é uma grande bobagem, que todo mundo morre no final. Então, vamos ser felizes com quem a gente escolhe ser feliz.”

Atualmente, no ar em “Pé na Cova”, o ator-diretor-autor-apresentador-tradutor-produtor também comentou sua vida pessoal:

"Fui casado a vida inteira. Dou muito beijo na boca. Se não fosse feliz nessa área, não seria o artista que sou. Sempre fui honesto, coerente. Nunca fiz número nem saí posando de outra coisa. Nunca escondi o que eu era para ninguém”, afirmou dizendo que os detalhes não interessam a ninguém.

Na entrevista, Falabella disse que sofre um certo bullying da imprensa, mas que não se importa com as críticas. “O que me importa é a relação com o público. O resto sai na urina, como dizia minha avó”, desabafou. Para ele, o pior episódio dessa “perseguição” aconteceu nos anos 1980, quando uma revista publicou o boato de que ele estaria com Aids e sugeriu que desmentisse com um exame. A repercussão foi tamanha, que mal podia sair de casa. 

... e as criaturas: Odete Roitman (Luma Costa) e Tamanco (Mart'nália) formam o casal na série Pé na Cova.