sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

ExcluZivo - brasileiro relata protesto contra casamento gay na França

Loading


Como sabem, no último domingo, milhares de pessoas foram às ruas de Paris protestarem contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Isso mesmo! Clique aqui para ler a notícia e relembrar esse lamentável acontecido

Diante disso, o Muza traz, com excluZividade, abaixo, o relato do brasileiro João Victor Rodrigues que estava na cidade luz (que parecia da treva) durante a manifestação.

Então, um mês em Paris e ao assistir o jornal, vi que tramita por aqui um projeto de lei que permitiria a união legal entre homossexuais, o que, até então, era tabu, até mesmo por aqui. Super legal e tal , mas uns dias depois começaram a surgir manifestações pequenas a favor..... Mais legal ainda, porém, à frente contra o projeto se mostrou tão grande, com manifestações gigantescas.

No último domingo visitei Alesia em Paris e comecei a perceber que a maioria das ruas de lá estavam bloqueadas e quando perguntei ao meu cunhado o que se passava ele disse que era uma manifestação relacionada ao casamento gay na França. Ok, mas só um pouquinho depois no metrô eu vi que a manifestação era contra o projeto de lei.

Incrivelmente, quem apoia o movimento contra são famílias tradicionais, altamente católicas e ricas, que usam como argumento "crianças precisam de uma mulher e um homem liderando a família para serem felizes", machistas, puritanos..... Mas agora faça a mesma pergunta que eu me fiz: "e as crianças no orfanato, será que elas serão mais felizes sozinhas no orfanato ou numa família de dois indivíduos do mesmo sexo".

Algumas das pessoas que lá estavam, simplesmente lá por motivos banais, mas o que me choca é o fato de pessoas que quebraram barreiras e tabus, como casamento interracial, voto feminino, ou qualquer outro, se abster de apoiar a causa ou até mesmo ser contra o protesto.

Enfim, só espero que essa barreira seja quebrada aqui e através do mundo também, como a escravidão, e todas as outras, porque continuar com uma visão tão antiquada assim é o mesmo que parar no Séc XX ou XIX.

Acorda França! Acordemos todos, para o tempo que passa e para constante mudança da sociedade, do tempo e dos valores.