quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Documentário sobre ativismo quando surgiu a AIDS é indicado ao Oscar

Loading



Com direção e roteiro do jornalista e escritor, David France, o documentário “Como sobreviver a uma praga” (How To Survive A Plague) mostra o ativismo de dois grupos norte-americanos, ACT UP e o TAG, para transformar o diagnóstico fatal da AIDS em doença tratável. Sem formação científica, esses jovens soropositivos infiltraram-se na indústria farmacêutica para que fossem desenvolvidas pesquisas promissoras sobre a doença, que resultassem em medicamentos eficientes. Na época, em 1982, a AIDS era, aparentemente, restrita aos homossexuais, por isso, era conhecida como "peste gay". Aliás, a palavra Plague, do título do documentário, pode se referir tanto a praga quanto peste.

O documentário, de quase duas horas, traz imagens de arquivo com entrevistas, reuniões e protestos nas ruas. O longa tem recebido boas críticas, inclusive no Festival de Sundance 2012, e foi exibido também no Festival do Rio 2012.

France é um dos mais conhecidos cronistas da epidemia. Escreveu para o New York Times, Newsweek, GQ, e New York Magazine, onde ele é editor. Recebeu uma indicação ao prêmio WGA pelo roteiro do filme Our Fathers, baseado em seu livro. Atualmente se dedica a um livro sobre a história da AIDS. Baseado em décadas de pesquisa, este é seu primeiro filme.