segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Leia entrevista excluZiva com a Lorena Simpson

Loading



Para encerrar 2012 da maneira mais inspiradora possível e, assim, já mandar boas vibrações, informações e inspirações para 2013: uma entrevista excluZiva com a cantora Lorena Simpson. Isso mesmo! Ela esteve m BH, pela terceira vez, há alguns meses, com a sua nova turnê, a Neo Time Tour, e o Muza esteve presente.

Na conversa, Lorena, fala sobre o conceito e produção da Neo Time Tour, do público de BH, a parceria com a cantora Amannda e ainda adianta curiosidade sobre o novo vídeo-clipe, para a música “Jump Up”, uma das músicas que se destacou em 2012.

Clique aqui para ver imagens do show de Lorena Simpson em BH.

Um dos visuais de Lorena na Neo Time Tour
Percebi uma diferença desse show em relação ao que você apresentou em 2011. Percebi até um conceito em torno... queria que você falasse um pouco sobre a Neo Time Tour.
O conceito eu comecei a tentar introduzir desde o último show. Como é uma coisa complicada por ser um show de boate, é muito difícil. Na verdade, acho que quase ninguém tenta trazer um conceito, e, pra mim, é muito difícil não trabalhar com conceito, porque eu sempre trabalhei com dança e tudo mais, então, eu sempre tenho um por que das coisas e dessa vez eu quis trazer um por que pra história. A Neo Time Tour fala de uma necessidade que eu acho que a humanidade está precisando: de se renovar, de abandonar os seus conceitos e pré-conceitos, às vezes muito feios né?  Às vezes, a gente tem que morrer pra viver de novo, a gente tem que enterrar algumas coisas pra renascer. Então, fala um pouco desse renascimento e de novos conceitos, de uma forma diferente de enxergar a vida, a nós mesmos e as outras pessoas. Então, introduzir esse conceito, além desse renascimento que é a busca de si mesmo, a busca da luz própria, de acreditar, de se aceitar e naturalmente todo resto flui junto.

O que se relaciona com a empatia sua com o público gay... você percebe essa conexão?
Sem dúvida. Percebo demais a conexão. Na verdade, como eu falo, o público faz parte do meu show, eu sempre digo que eles são uma parte importante no show. Inclusive, na minha estreia no sábado, eu tive um super problema na caixa, o microfone parou de funcionar e as pessoas cantaram por mim, então, eles fazem parte demais do meu show. Então, é um orgulho gigantesco pra mim perceber que eles estão dentro, querem participar.

E por falar em público, BH mais uma vez. A nova turnê estreou sábado e já está aqui, terça. Então, como é pra você essa relação com BH? Como você percebe, especificamente, o público daqui?
Então, aqui acho que é a segunda vez que eu venho. A primeira foi no ano passado... Ah teve a Miss Pig, desculpa, mas eu praticamente nem conto porque faz tanto tanto tempo, foi breve e teve pouquinha gente e tudo mais, nem tem como comparar uma coisa com a outra.

Lorena durante show realizado em BH em 2012
Porque do ano passado pra cá, já deu uma diferença..
Já deu uma diferença grande. Mas assim, o público de BH é muito bom, tem uma galera muito animada, mas eu percebo que tem muito espectador, eles assistem bastante. Tem muita gente que fica olhando, prestando atenção mesmo no show e uns que não tão nem aí, só querem se jogar e dançar muito.

Mas você percebe essa postura, observadora, do público mesmo?
Percebo! Percebo que aqui existem mais espectadores do que os que participam. Mas é interessante porque o show, que nem você falou, tem um conceito, tem algo pra parar e ficar olhando e prestando atenção.

Igual eu vi também os vídeos entre as músicas. Quanto tempo levou essa produção? (idealização, figurino, etc).
Da idealização até tudo acontecer foi no final da última turnê, eu já comecei a pensar nessa e a gente já começou em busca das ideias das roupas, do que que ia trazer de tecnologia, que que não ia trazer, eu sabia que queria alguma coisa do tipo. Mas até tudo acontecer uns dois, três meses. Até criar as novas versões das músicas e pensar no figurino, uns três meses.

E "Jump Up"? vem um vídeo por aí? Alguma coisa que você pode revelar, uma previsão?
Com certeza! Olha, quando eu fiz meu último clipe, Dreams, muitas pessoas reclamaram “cadê a dança? A Lorena não dançou em Dreams”, mas era a ideia, não era pro clipe ser uma coisa dançante, mas o próximo eu posso garantir que vai ter dança do começo ao fim. Então, fiquem felizes que vai ser um clipe pra ferver.

Você realizou uma parceria com a Amanda no 1º semestre com a música “Summer Is Crazy”, e algumas apresentações, fale um pouco disso, como que foi. Neste momento que a gente vê um boom de cantoras dessa área e-music , aí vem Amanda e você, que são referências nesse segmento, como você percebe isso?
Então, nós recebemos o convite de fazer essa parceria do Phil Romano pra regravarmos uma música, ele queria fazer uma música comigo e com a Amanda e aí surgiu a ideia de regravar um sucesso dos anos 90. O Phil é amigo da Alexia, que era a cantora da música, então a gente resolveu fazer essa união e deu super certo. As vozes casaram e tudo mais. E eu acho importante essas parcerias, assim como tem outras cantoras que também têm buscado essas parcerias, é importante essa união mesmo assim né porque, é meio clichê falar isso, mas a união faz a força, acaba que um trabalho somado ao outro só acrescenta pra cena, então, é mais música e trabalho de mais qualidade e tudo mais. Claro, vejo mais como união do que como concorrência, com certeza.

Uma pregunta que sempre fazemos aos entrevistados, relaciona ao Muza, que tem um conceito de informação, inspiração. O que inspira a Lorena e o que você espera inspirar no público?
O que me inspira? Tá deixa eu pensar! Ela (da equipe do Muza) vai ficar meia hora filmando minha cara até eu pensar? (risos) Na verdade uma coisa inspira a outra. O meu trabalho me inspira, a música me inspira, saber que o público espera um grande show e músicas boas, isso me inspira demais a fazer coisas boas e a crescer e evoluir como artista, pra sempre trazer novidades pra galera e pra galera também se inspirar com meu trabalho.