terça-feira, 27 de novembro de 2012

ColunaZs – “Ponto.B – Desejo”

Loading

 
Homossexuais costumam ser tidos como pervertidos por muitos, pessoas mais sexualizadas que as ditas “normais”. Acredito que tal estereótipo, tão falso quanto o que homem pensa em sexo e mulher não, se deva o simples fato de nos permitirmos explorar, e discutir, nossos desejos sexuais de forma mais aberta.

Somos reprimidos por simplesmente existir, pelo afeto que sentimos. A busca por direitos e respeito é algo constante. Queremos ter o direito de ser, apenas. Me parece que esse pensamento leva a diversos outros questionamentos a respeito das restrições sociais. Começamos a questionar os padrões. A repressão do desejo sexual é forte para praticamente todas as pessoas. Pessoas que pensam em sexo tem a mente suja, xingamento possuem cunho sexual, como se de alguma forma aquilo significasse algo negativo. Mulheres, ainda, são praticamente proibidas de falar sobre sexo, se masturbarem, gostarem de sexo “igual homem gosta”. Gays, se quiserem se encaixar na sociedade, devem ser quase assexuados.

Após todas as revoluções continuamos com uma mentalidade arcaica com relação ao sexo. Desejos são reprimidos e discriminados. Mas sexo, os desejos e fantasias, são naturais ao ser humano. Obviamente existe um questão de respeito, com próprio corpo e com o dos outros. Desde que ninguém seja prejudicado, forçado, e o sexo feito com responsabilidade, não há problemas.

Buscamos, enquanto LGBTTs, o direito de ser e sermos respeitados. Devemos buscar tal direito de forma plena. Não podemos nos curvar diante de um padrão, também limitante, para que sejamos “aceitos”. Reprimir mais o lado sexual para mostrar o lado afetivo é dar um passo para frente e dois para trás. O ser humano faz sexo, independente de sua sexualidade e identidade de gênero. Não devemos tentar apagar o lado sexual, mas questionar o porquê de sua repressão.

Quero o direito de ser, de ser gay, ser afetivo, ser sexual, ser humano, de ser por completo.

*Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado. The bitch says: follow my ass!