terça-feira, 11 de setembro de 2012

Saiba como foi o show da Alanis Morissette em BH

Loading

  
*por Valmique

É impressionante ver a disposição da Alanis Morissette no palco e a potência de sua voz. Sobretudo, com o passar dos anos. Afinal, o público está diante de uma mãe de família com seus 38 anos e não da jovem sensação musical de 21 anos em 1996. Assim como é impressionante ver como suas músicas dos anos 90, principalmente as do disco Jagged Little Pill (de 1995), mexem com o público que cantou junto cada verso e vocalize eternizado pela cantora e compositora canadense. Afinal, já se passaram quase duas décadas desde que elas foram lançadas.

Mas apesar de diversos “sucessos antigos” Alanis estava em Belo Horizonte, naquela noite de 9 de setembro de 2012, devido ao seu disco recém-lançado: “Havoc And Bright Lights” (Destruição e luzes brilhantes). Assim, a turnê “Guardian Angel Tour” também destacou o lançamento. Ao todo, foram 6 canções retiradas do disco. Todas foram muito bem recebidas pelo público, principalmente “Guardian”, “Woman Down” e “Edge Of Evolution”. Além dessas, ela também cantou “Numb”, “Leans” (uma das minhas preferidas no momento) e a bela balada “Havoc”. 

Mas em alguns momentos parecia que estávamos na década de 90. Afinal, ela cantou além dos já esperados hits do clássico disco de rock, Jagged Little Pill, ela também cantou outras três canções do mesmo disco: “All I Really Want”, “Perfect” e “Right Trough You”.  Além de “So Pure”  e “Thank U” do disco “Supposed Former Infatuation Junkie”, também dos anos 90. De 2000 pra cá só “Hands Clean”, do disco “Under Rug Swept” de 2002, marcou presença.

Se Alanis quisesse algumas músicas ela nem precisaria cantar, porque o público cantava, como cantou, com e para ela. Assim, as performances de “Ironic”, “Hand In My Pocket”, “You Learn”, “Head Over Feet” e “Uninvited” foram quase seções de videokê. Sem mencionar “You Oughta Know” que pareceu, assim como na passagem dela em 2009 por Belo Horizonte (e com certeza é assim em todo o Brasil): uma cartase coletiva! Afinal, é impressionante como todos cantam, gritam, se indignam e se revoltam na música que fala sobre a dor de uma traição, cinismo e abandono. Definitivamente, um hino para muitos. Afinal, só assim para tentar explicar a paixão e força com que a música toca as pessoas.

Alanis também foi ovacionada quando atingiu a extensão de uma nota vocal primorosa em “Perfect”, bateu-cabeça no melhor estilo heavy metal em “Uninvited” e, politicamente atual, trocou novamente o final do verso de “Ironic” a palavra “wife”(esposa) por “husband” (esposo). Que verso? Esse aqui ó: “It´s like meeting the man of my dream and meeting your beautiful... husband” (É como conhecer o homem dos seus sonhos e então conhecer seu bonito esposo).

Alanis pode parecer datada para alguns, mas fato é, que desde que surgiu no mundo da música nenhuma outra artista feminina no segmento rock ou pop/rock conseguiu o alcance e o prestígio que Alanis tem. Além disso, ela continua na ativa e lançando novos discos e novas músicas. E basta ir ao seu show para entender porque ídolos atuais, como Katy Perry, Britney Spears, Beyoncé, Avril Lavigne, Kelly Clarckson e até mesmo a brasileira Sandy fazem referência e reverência à ela. Alanis rock, bebê! ;)

Abaixo, o set-list completo do show da Alanis Morissette em Belo Horizonte:
"I remain"
"Woman down"
"All i really want"
"You learn"
"Guardian"
"Perfect"
"Right through you"
"Hands clean"
"So pure"
"Edge of evolution"
"Ironic"
"Havoc"
"Head over feet"
"I remain (reprise)"
"Lens"
"You oughta know"
"Numb"
"Hand in my pocket"
"Uninvited"
"Thank You"