sábado, 29 de setembro de 2012

Cadê a gracinha? Hebe faleceu hoje. Saiba mais sobre sua história na TV

Loading

(Via O Tempo On Line) Morre de parada cardíaca neste sábado (29), em São Paulo, a apresentadora Hebe Camargo, de 83 anos. O Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) lamenta e lembra que, na última quinta-feira (27), havia acertado junta às direções artística e de programação da emissora, seu retorno ao canal.


Em 11 de março deste ano foi retirado do intestino da apresentadora um tumor. Em 2010, ela passou por cirurgia e quimioterapia, após ser identificado um câncer no peritônio, membrana que envolve os órgãos.

Já em junho, Hebe Camargo foi levada às pressas para o hospital para a retirada de uma vesícula. Ela ficou internada durante cinco dias para fazer exames de rotina.

Doença

Em janeiro de 2010, Hebe Camargo foi internada no hospital Albert Einstein, na Cidade de São Paulo. Informações preliminares adiantavam que ela passaria por uma cirurgia para a retirada de um tumor no estômago. Um boletim emitido posteriormente pelo hospital divulgou que Hebe foi submetida a uma laparoscopia diagnóstica, que encontrou nódulos, atestando ser um tipo raro e de difícil tratamento do câncer no peritônio. O resultado da análise confirmou a existência de um tumor primário na região. Em junho deste ano, a apresentadora foi internada para retirada da vesícula. Em julho de 2012 foi novamente internada por motivo não divulgado oficialmente.


História na TV


A estreia na TV ocorreu, em 1955, no primeiro programa feminino da TV brasileira, O Mundo é das Mulheres, onde chegou a apresentar cinco programas por semana. Em 1957, Hebe, originalmente uma morena, passa a se apresentar com os cabelos tingidos de louro, até hoje.

Em 1960 ela é contratada pela TV Continental para apresentar Hebe Comanda o Espetáculo, cuja edição especial em 1961 é lançada em disco.

Em 10 de abril de 1966, vai ao ar, pela primeira vez, o programa dominical de Hebe Camargo, pela TV Record (Canal 7 de São Paulo, atual Rede Record); o programa a consagra como entrevistadora e ela se torna líder absoluta de audiência, acompanhada do músico Caçulinha e seu Regional.

Durante a Jovem Guarda, Hebe deu espaço a novos talentos, como Roberto Carlos, Martinha, Wanderléa e Ronnie Von, a quem apelidou de Príncipe.

Logo depois, a apresentadora Cidinha Campos veio ajudá-la nas entrevistas. Hebe também arranjava tempo para o seu programa diário na Jovem Pan - Rádio Panamericana.

Hebe passou por quase todas as emissoras de TV do Brasil, entre elas a Record e a Bandeirantes, nas décadas de 1970 e 1980. Na Bandeirantes, ficou até 1985, quando foi contratada pelo SBT.
Em 1986, Hebe foi para o SBT, onde apresentou três programas: Hebe, no ar até 2010, Hebe por Elas e Fora do Ar, além de participar do Teleton e em especiais humorísticos, como um quadro do espetáculo da entrega do Troféu Roquette Pinto, Romeu e Julieta, em que contracenou com Ronald Golias e Nair Bello, já falecidos, artistas que foram grandes amigos da apresentadora.

O programa Hebe entrou no ar em 4 de março de 1986. Entre 1986 a 1993, o programa foi ao ar nas terças-feiras. Em 1993, migrou para as tardes de domingo. No ano seguinte, foi para a segunda. Durante um período, foi exibido aos sábados. A apresentadora recebe convidados para pequenos debates e apresentações musicais: todos se sentam em um confortável sofá, que é quase uma instituição da televisão brasileira.

O último programa de Hebe Camargo no SBT foi ao ar em 27 de dezembro de 2010. Dois dias antes de anunciar a saída do SBT, no dia 11 de dezembro, Hebe, com permissão do SBT, gravou com o apresentador Fausto Silva o Domingão do Faustão, da Rede Globo, onde recebeu uma homenagem (este programa foi ao ar no dia 26 de dezembro de 2010). Após sua saída do SBT, ela assinou contrato com a RedeTV! em 15 de dezembro de 2010 para receber 500 mil reais por mês mais 50% de todos os merchandisings. 

Abaixo, um vídeo no qual Hebe mostra o que todos nós relacionamos a ela: alegria e espontaneidade. No caso, ela recebe a dupla T.A.T.U. e ainda quer fazer bapho sobre as duas serem ou não namoradas!