sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Personagem gay de “Gabriela” terá um coronel como amante

Loading


(Via O Tempo On Line) A vida solitária de Miss Pirangi (Gero Camilo) está com os dias contados em "Gabriela" (Globo). Na próxima semana, o Bataclan será invadido por um mistério: quem é o homem que sustenta o braço-direito da dona da boate, Maria Machadão (Ivete Sangalo)? As desconfianças de que ele tem um caso amoroso surgirão ainda nesta semana, quando Pirangi pagará a dívida que Lindinalva (Giovanna Lancellotti) tinha com a cafetina. Diante disso, todos se perguntam sobre quem dá dinheiro a ele.

O caso não existe no livro de Jorge Amado que deu origem à novela. "É uma forma de questionar a falsa moral da época", diz Gero Camilo. "Todos são suspeitos. Eu apostaria no Melk ou no Amâncio", diverte-se o ator, citando os personagens de Chico Diaz e Genésio de Barros. "Só posso garantir que é mesmo um coronel", diz o autor, Walcyr Carrasco.


Camilo conta que já gravou cenas entre Pirangi e o amante. "No início, só serão mostradas sombras". Segundo o ator, porém, o personagem não tem uma visão tão romântica da vida. "Está mais para Maria Machadão do que para dona Mocinha", diz, citando a dona do Bataclan e a personagem de Maitê Proença, morta pelo marido, Jesuíno (José Wilker).


Para Gildeci Leite, professor da Uneb (Universidade do Estado da Bahia) e especialista na literatura de Jorge Amado, essa novidade não fere a obra original. "Jorge Amado escreveu sobre relações homossexuais em outro livro,
‘Suor’. Acho que isso não é muito comum em sua obra, pois não era uma questão forte na época", explica. O ator Gero Camilo acredita que desenvolver este lado do personagem pode ajudar na discussão sobre a violência contra os gays. "O tema é muito atual, acho importante mexer nesta ferida".