terça-feira, 3 de julho de 2012

Colunazs – “Posicionamento público”

Loading


Antes de partir pro assunto, só um aviso: Hoje (03/07) começa o youpix, e na quinta (05/07) eu participarei do debate ”Blogayros: Informação sem avacalhação”. Seremos eu, Felipe GaZz, PeagáPeñalvez,Fabio Allvese Caio Fochetto em um debate maravilhoso.

O belíssimo Anderson Cooper acaba de se assumir publicamente. Mais um famoso pra lista “Todos já sabiam”. Mas algumas palavras me chamaram a atenção “Andei pensando sobre o que estaria significando eu manter minha privacidade (…) Ficou claro pra mim que manter o silêncio em certos aspectos de minha vida pessoal por tanto tempo estava criando uma impressão errada de que eu estava querendo esconder algo – algo que me deixava incomodado, envergonhado e até amedrontado”

O posicionamento público de Anderson carrega uma mensagem que, acredito eu, deveria ser um dos nossos fundamentos. A necessidade de se assumir, se posicionar publicamente, isso não deveria existir. Sabermos que ele é gay, como a maioria já sabia, deveria ser o bastante. Ele não deveria ter a obrigação de posicionar, se assumir, assim como nenhum de nós. Essa é uma das maiores, e mais ignorada, demonstrações de preconceito.

Continuo me considerando uma pessoa reservada e espero que isso não seja o fim do pequeno espaço privado de vida que tenho. Mas eu acho que visibilidade é importante, mais importante do que preservar meu escudo privado como repórter”. A preocupação de Anderson com sua privacidade é natural. Ele não pediu para nascer gay, ele não tem obrigação de levantar bandeira. Por mais que ele se preserve, existe uma falta de privacidade. E quanto mais dados concretos a mídia tem, menor é a sua privacidade.

Anteriormente ele já havia se posicionado a respeito da causa LGBT, sempre apoiou. Mas nunca explicitou sua sexualidade, afinal isso importa de verdade? Não é simplesmente um ato humano defender os direitos de todos? Agora ele se assumiu publicamente, pois sentiu que isso também seria importante.

O que estou tentando dizer é que todos nós sentimos essa pressão. Em diferentes níveis. Sempre chega um ponto em que somos praticamente obrigados a tornar pública nossa sexualidade. Isso porque ela era escondida, porque éramos heteros até que disséssemos o contrário.

*Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado.The Bitch says: follow my ass!